UPA/ Cachoeira contabiliza 68 mil atendimentos em um ano

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Cachoeira do Sul completou no último dia 20 de julho,  um ano de existência com saldo positivo mas também de preocupação, tendo em vista que inclusive pessoas que tem planos de saúde estão em busca de atendimetno. Uma das bandeiras do Governo Ghignatti se tornou referência para outros municípios com a administração do Hospital de Caridade e Beneficência (HCB).

Foram 68 mil atendimentos em um ano, completados no dia 19 deste mês, além de 270 mil  procedimentos e 230 pessoas atendidas por dia, totalizando 270 mil procedimentos, segundo a coordenação da UPA, tendo à frente o médico Altemir Ferro de Oliveira.

UPA surpreendeu desde o seu início, quando em 5 dias de funcionamento, já tinha atendido 550 pacientes. A unidade trabalha no padrão exigido pelo Ministério da Saúde com 62 funcionários e uma equipe de médicos, que permite ter todos os dias, dois profissionais para atender ao público.

A ideia de implantar a UPA gerou muito expectativa. O projeto iniciado no primeiro mandato do prefeito Sergio Ghignatti não teve a atenção no governo do ex-prefeito Neiron Viegas e, por isto, quando Ghignatti retornou à Prefeitura cumpriu uma promessa de campanha. Com a UPA em funcionamento, foi fechado o antigo Plantão do SUS, local de muita reclamação da comunidade, principalmente, pela demora no atendimento.

A agilidade da UPA agrada a população. O modelo de atendimento também. Mesmo, localizada na zona norte, a unidade também desafogou o setor de emergência do Hospital de Caridade e Beneficência (HCB), que agora se concentra em casos de extrema gravidade. “A UPA cumpre seu papel com eficiência e, por isto, estamos contentes”, disse o médico coordenador, Altemir Ferro, em entrevista na Rádio Fandango.

Converse com a Fandango