Após 45 dias, Hospital de Campanha do Exército começa a ser desmontado em Porto Alegre

O Hospital de Campanha do Exército, instalado no pátio do Hospital Restinga e Extremo-Sul (HRES), em Porto Alegre, começou a ser desmontado no final da manhã desta segunda-feira(03). Segundo a administração do hospital da Restinga, durante o período em que serviu de apoio para o atendimento de internados acometidos pelo coronavírus, de 19 de março de 2021 a 21 de abril, 289 pacientes receberam tratamento no espaço.

No local 60 profissionais atuavam nos cuidados de pacientes que ocupavam os 17 leitos disponíveis. Com 111 leitos fixos, o Hospital Restinga e Extremo Sul chegou a manter a internação de 210 pessoas simultâneas em alguns dias do mês de março. Além de montar a estrutura, o Exército disponibilizou oito respiradores, 17 camas, 20 monitores, gerador de energia e sistema de ar-condicionado. Agora, quatro respiradores emprestados pelo Exército brasileiro, que foram utilizados na emergência da instituição de saúde, serão devolvidos.

O material do hospital de campanha, veio de Manaus onde estava no Hospital Militar de Área de Manaus. A criação do hospital partiu de uma operação conjunta entre a prefeitura de Porto Alegre, o governo do Estado e o Exército, após um pedido feito pelo governador Eduardo Leite ao Comando Militar do Sul (CMS).

O espaço de três leitos no hospital de campanha foi utilizado para a colocação de equipamentos, por esse motivo, foram 17 leitos de enfermaria. O material, vindo de Manaus, foi trazido em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB). O hospital de campanha foi montado na frente a unidade de diagnóstico do Hospital Restinga e Extremo Sul.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *