Dnit promete concluir os viadutos da BR-290 em Pantano e Charqueadas até outubro

Quem escolhe sair  em direção a Porto Alegre pela BR-290, via Pantano Grande, depara-se com um trajeto de cerca de 115 quilômetros praticamente todo com obras, seja de duplicação da rodovia ou mesmo de conservação da pista. A estrada oferece condições ao tráfego, mas exige cuidado em alguns pontos. Os trabalhos para a duplicação também ocorrem no acesso aos municípios. Segundo a Superintendência Regional do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), até outubro os dois viadutos, de Charqueadas e de Pantano Grande, deverão ser finalizados.

Para quem decide chegar à Região Metropolitana passando por Passo do Sobrado e Vale Verde, a viagem pela BR-290 começa no quilômetro 130,6, ponto exato onde a ERS-401 (General Câmara-Charqueadas) se encontra com a rodovia federal em obras. O ingresso na 290 se dá ainda por meio do acesso secundário, criado para ser utilizado durante os trabalhos de duplicação da pista.

Conforme a Superintendência Regional do Dnit em Porto Alegre, o viaduto sobre a BR-290, ao final da ERS-401, deve ser entregue em setembro próximo. A partir desse ponto, os primeiros 16 quilômetros em direção a Pantano Grande apresentam uma pista segura, com acostamento e sinalização horizontal sobre o asfalto, além de sinalização vertical com placas que indicam informações como a localização e a velocidade. Em virtude das obras em andamento, as máximas no trecho da BR-290 variam entre 60 e 100 quilômetros por hora.

O trecho compreendido entre os quilômetros 146 e 154 está em obras, assim como o trajeto do quilômetro 194 até o 200, próximo a Rio Pardo. Nesses pontos o risco de acidente é grande, pois não há a sinalização horizontal. As ultrapassagens ocorrem em vários locais, mesmo em desrespeito às placas que indicam que a manobra é proibida.

O trabalho para manutenção da pista – que é de responsabilidade da União – se dá por meio de uma empresa terceirizada contratada pelo Dnit, via licitação. Essa empresa é responsável por serviços rotineiros, como capina e limpeza da pista, e também pela recuperação do pavimento, em execução permanente na BR-290, segundo informa o departamento.

Em Pantano Grande está o viaduto da BR-290 sobre a BR-471 (Rio Pardo-Pantano), a qual também faz a conexão entre bairros do município. O acesso para o trânsito de pedestres que se deslocam entre bairros já foi liberado, diferente do constatado em fevereiro deste ano, quando ainda estava fechado. A projeção é de que a obra toda seja finalizada até o mês de outubro, restando apenas o avanço da duplicação da rodovia.

Iniciada em 2014, a obra para duplicação dos 115,7 quilômetros entre Eldorado do Sul e Pantano Grande ainda não tem data para acabar. Apesar da previsão de que os viadutos em Charqueadas e Pantano sejam concluídos até outubro, os lotes entre Eldorado e Butiá, e entre Butiá e Rio Pardo, ainda estão parados.

Com custo estimado de R$ 583 milhões em 2014, a conclusão do trecho tinha como prazo inicial o ano de 2017. Sobre a retomada desses dois lotes da duplicação, entre os municípios de Eldorado do Sul e Rio Pardo, a Superintendência Regional do Dnit não se manifestou quanto ao prazo.

 

 

 

 

fonte Portal GAZ

Converse com a Fandango