Policiais Civis Gaúchos protestam contra atraso nos salários pelo Governo Leite

Um grupo de policiais civis se manifestou, nesta segunda-feira, em frente ao Palácio Piratini, em Porto Alegre Vinculados à UGEIRM Sindicato, os agentes pediram o pagamento dos salários. A folha de abril ainda não foi quitada pelo Governo Leite e o atraso já chega há 4 anos. Até agora, apenas R$ 4 mil foram depositados nas contas dos servidores. O restante dos salários ainda não tem data para ser pago.

O Piratini afirma que depende do repasse do socorro financeiro da União aos estados para quitar a folha do Executivo. O vice-presidente da UGEIRM, Fábio Castro, cobrou uma solução rápida, ainda que paliativa, para o problema. “A gente entende que esse processo todo da pandemia agravou a situação econômica”, afirmou. “Nós temos que tentar encontrar uma solução, mesmo que emergencial, mesmo que paliativa, que passa para além dessa questão da ajuda emergencial aos estados. Nós não sabemos quando esse dinheiro vai chegar”, prosseguiu Castro.

Empréstimos consignados

Os policiais civis também pediram a suspensão da cobrança dos empréstimos contraídos por servidores junto ao Banrisul. O refinanciamento proposto pelo Banco prevê a suspensão de pagamentos por 90 dias. No entanto, muitos funcionários públicos já não têm margem para realizar a operação, em razão do parcelamento de salários.

Dirigentes da UGEIRM foram recebidos pelo presidente da Assembleia, deputado Ernani Polo. De acordo com Fábio Castro, o parlamentar intermediou o contato entre policiais civis e a direção do Banrisul. “Inclusive nós conseguimos falar, por telefone, com o presidente do Banrisul [Cláudio Coutinho], que sinalizou para uma nova fórmula de cálculo para a questão dos consignados”, revelou o vice-presidente do sindicato.

Converse com a Fandango