Viagem Segura de carnaval segue até a quarta-feira de cinzas

Entre a zero hora desta sexta-feira (21/2) e a meia-noite da quarta-feira de cinzas (26/2), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Brigada Militar (BM), Comando Rodoviário da BM (CRBM), DetranRS e Polícia Civil estarão mobilizados para a 114ª Viagem Segura – edição de Carnaval.

A ação conjunta tem como principal objetivo preservar vidas. A fiscalização ocorre em ruas e rodovias do Estado e com a atuação da Escola Pública de Trânsito, que trabalha para conscientizar as pessoas quanto à responsabilidade de todos para um trânsito mais humano, propagando o conceito do movimento empatia.

A diretora institucional do DetranRS, Diza Gonzaga, afirma que o objetivo da Viagem Segura não é impedir que as pessoas se divirtam, mas sim que se divirtam com responsabilidade, para voltar em segurança para casa e só ter boas lembranças. “Não deixe a diversão acabar em cinzas. Neste carnaval, o enterro dos ossos deve ser apenas uma metáfora para o final da folia. Afinal, ano que vem tem mais.”

Balada Segura

Com foco no combate à alcoolemia ao volante, a Balada Segura estará atuando tanto nos municípios conveniados ao programa como no Litoral Norte, Sul e Costa Doce. Fiscalizar também é uma forma de educar e contribui para a sensibilização dos condutores de que misturar álcool e direção não só é uma conduta infracional, mas potencializa o risco para os acidentes no trânsito.

Acidentes

Segundo levantamento realizado pelo DetranRS entre 2007 e 2019, nos 15 feriados ou datas festivas em que é realizada a Viagem Segura, a média apontada é de 6,33 mortes por dia. No período de carnaval, a média é um pouco mais baixa: 5,47 mortes/dia. Foram 427 vidas perdidas, o que representa dizer que uma pessoa perde a vida a cada quatro horas e 23 minutos nos seis dias de feriadão de carnaval dos últimos 13 anos.

Em 2019, foram 33 vítimas nos seis dias, considerando as que vêm a óbito até 30 dias pós-acidente. Avaliando a média geral da acidentalidade no período de Carnaval, a análise aponta que quase 59% das vítimas fatais foram de acidentes que ocorreram nas rodovias, contra 41% nas vias municipais.

Converse com a Fandango