Cidades decretam emergência. Em Cachoeira, Prefeito vai pescar!!!

Enquanto 407 municípios do Rio Grande do Sul decretaram calamidade pública por falta de combustíveis devido à greve dos caminhoneiros (números mais atuais divulgados pelo Governo do Estado), em Cachoeira do Sul, a Prefeitura não pensou nesta possibilidade. O prefeito Sergio Ghignatti não acionou a Defesa Civil e, neste domingo, quando poderia buscar uma solução para a garantia do transporte urbano a partir desta segunda-feira (28), decidiu ir pescar.

A única decisão adotada até agora pelo Governo Ghignatti foi o de determinar o uso restrito de viaturas. Na prática, a Prefeitura parou, a não ser os serviços da saúde e casos emergenciais da Secretaria de Obras são mantidos.  Com o decreto de calamidade pública, o município garante abastecimento, segundo a Famurs, que presta assessoramento às prefeituras.

A Transportes Nossa Senhora das Graças (TNSG), concessionária do transporte urbano, lamenta a falta de apoio neste momento, tanto que tentará junto aos órgãos de segurança da cidade, um apoio na liberação de diesel para manter o atendimento à população. Deste sexta-feira (25), os ônibus cumprem horários do final de semana, procedimento que deverá se estender nesta segunda-feira (28).

Mesmo que o estoque de gás tenha terminado na cidade, assim como o combustível nos postos, o Hospital de Caridade e Beneficência (HCB) em nota diz que ainda mantém a normalidade de seus serviços.

Saiba mais

O Governo do Estado está concentrando esforços para diminuir os impactos do desabastecimento nas cidades gaúchas e normalizar a circulação de produtos essenciais como remédios, alimentos perecíveis, combustível e insumos químicos para água potável, entre outros itens. Somente neste sábado (26), ocorreram quatro reuniões entre o vice-governador José Paulo Cairoli, secretários e grupos de trabalho, todas elas por iniciativa do Gabinete de Crise instituído pelo governador José Ivo Sartori para monitorar e buscar soluções aos efeitos provocados por cargas paralisadas nas rodovias.

Converse com a Fandango