Desculpe, não possível recuperar os dados no momento.

Moradores denunciam que Vila do Km 0, está abandonado pela Prefeitura de Cachoeira

Cerca de 100 famílias residentes na área do Km Zero, na ERS 403 inicio da estrada que liga Cachoeira a Rio Pardo, estão indignadas com a Prefeitura. Os moradores cobram a instalação de um posto de saúde, canalização, iluminação e limpeza das ruas. Em alguns casos, existem dificuldades de acessar as moradias nos períodos de chuva. O fato foi denunciado nesta sexta-feira para reportagem da Rádio Fandango AM/FM e Jornal O Correio

A dona de casa, Elisabete Ribeiro Bittencourt, 51 anos, moradora há 29 anos no Km Zero, diz que nunca viu uma patrola da Prefeitura na região. “Para chegar na minha casa tenho que atravessar uma pinguela e, quando chove, meu pátio fica todo alagado”, revela, acrescentando que já cansou de solicitar providências.

A aposentada, Maria Moraes da Silva, 80 anos, salienta que para ir ao médico tem que se deslocar à unidade sanitária do Centro Social Urbano. “Fica mais fácil chegar lá de ônibus”, afirma. A vizinha dela, Núbia Lemos, 62 anos, observa que está em dia com o pagamento do IPTU, mas, em contrapartida, não recebe atendimento da Prefeitura.

A moradora, Jaqueline Teixeira Prado, disse que pretende organizar uma associação de moradores. “Já fiz contato com a Secretaria do Meio Ambiente, porque temos áreas tomada pelo mato e pretendemos também contatar a Secretaria de Obras. Nossa ideia é que a Ucab também possa nos apoiar em nossas dificuldades”, observa.

A área do Km surgiu como um prolongamento do Funcap. A maioria das casas está ao lado dos trilhos da rede férrea em uma área de alagamento. O matagal está por todo o lado e não há escoamento para a água da chuva. As ruas não possuem sistema de canalização. Os moradores temem período de chuva no inverno e, se isto acontecer, as ruas ficarão intransitáveis.

 

O Km Zero não está incluído no cronograma de mutirão da Secretaria de Obras. No entanto, o local deverá ser visitado por uma equipe da pasta para analisar as situações mais urgentes denunciadas pelos moradores.

Converse com a Fandango