Prefeitura destina mais recursos para resolver problema de falta de água em Novo Cabrais

Mais recursos para resolver problemas da falta de água

Mesmo com baixa arrecadação Prefeitura de Novo Cabrais prioriza investimentos a fim de melhorar serviço prestado à comunidade

Focada desde o início do seu mandado em tratar dos problemas relacionados à água, a Prefeitura de Novo Cabrais vem buscando em 2018 dar novos passos rumo a regulamentação e qualificação deste serviço prestado à comunidade, ainda que a estiagem e seca venham sendo severas nestes primeiros meses do ano.

HISTÓRICO

Em 2017 a Prefeitura promoveu uma sequência de ações visando melhorar e qualificar o serviço da água. Diante de apenas 34% da população pagar mensalmente as taxas simbólicas de R$ 10,00 e R$ 15,00 fixadas no município – taxas estas que são as mais baratas da região segundo levantamento –, as secretarias municipais de Meio Ambiente e de Finanças e Planejamento promoveram um recadastramento dos usuários tomadores de água entre os meses de março e agosto do ano passado. Feito isso ficou definido que a administração municipal realizaria reuniões nas comunidades no mês de setembro.

Nas reuniões foram apresentados os resultados do recadastramento, prestadas contas aos munícipes sobre o trabalho desenvolvido pela administração em relação à água, além de ter sido criado um espaço de troca de ideias sobre a atual situação e o planejamento para o futuro da água em Novo Cabrais. A partir dessas reuniões junto à comunidade, unindo as ideias e opiniões concretas coletadas, foi determinado que os contribuintes deveriam regularizar a sua situação até dezembro de 2017 junto ao setor de Tributos da Prefeitura.

AÇÕES ATUAIS

Atualmente, diante da estiagem e seca que afeta não somente o município, mas o Estado todo e parte do País, uma medida discutida nas reuniões com as comunidades e que está se colocando em prática neste momento é o racionamento, que visa dar um equilíbrio no abastecimento de água entre as localidades devido ao alto consumo e à escassez das vertentes. Na localidade da Várzea os turnos sem água podem ocorrer à tarde e à noite. Na localidade de Faxinal os turnos sem água podem ocorrer na manhã e à tarde e se dá apenas na parte abastecida pelo mesmo reservatório que liga Centro e Várzea, não se estendendo à área do Ipiranga e à área da antiga rede da Emater. Já no Centro, no turno da noite, pode faltar água. “Os funcionários das secretarias de Obras e Meio Ambiente estão trabalhando diariamente buscando novas captações, arrumando as existentes e buscando vazamentos de água a fim de evitar desperdícios”, destacou o responsável pela Vigilância Sanitária de Prefeitura Municipal, Josimar Balardin.

Uma equipe de funcionários das secretarias de Obras e de Meio Ambiente estão trabalhando também na construção de uma nova rede d’água na localidade de Linha Pfeifer, que levará água de fonte drenada em uma extensão com mais de oito quilômetros. “Há tempos havia reclamação da baixa vazão de água em parte da rede da localidade de Cerrito. Esta rede foi reformada com canos de 40 milímetros até o final e um ramal com canos de 32 milímetros ligando até o reservatório localizado na propriedade da senhora Jurema”, comentou o secretário de Meio Ambiente, Agnelo Machado. Ainda foram adquiridos três reservatórios na propriedade do senhor Valdinho Müller, que agora conta com dois reservatórios de 20 mil litros e dois de 25 mil litros, também para abastecer as localidades afetadas.

Visando abastecer as residências com falta de água, a Prefeitura Municipal também contratou um caminhão pipa para levar água até os reservatórios que abastecem as localidades de Centro, Várzea e Faxinal. Ao todo foram 60 mil litros de água no sábado, 10 de março, e outros 60 mil litros na segunda-feira, 12 de março. Desde a última semana a Prefeitura também se equipou com uma moto-bomba e adaptou um tanque em um caminhão próprio para transportar água até os pontos mais altos das redes, onde a água não tem pressão.

 

INVESTIMENTO X ARRECADAÇÃO

Em se tratando de investimentos e arrecadação em 2018 se mantém o que já havia ocorrido em 2017: grandes investimentos e pouco retorno de arrecadação. Com dados da Secretaria de Finanças e Planejamento, em 2017 foram investidos R$ 254.217,41 em equipamentos, melhorias, manutenções e ampliações das redes de água, e arrecadado o valor de R$ 108.756,78 através dos pagamentos de taxas e dívidas renegociadas, fechando o ano com um déficit de R$ 145.460,63. Em 2018, com dados atuais disponibilizados pela Secretaria de Finanças e Planejamento, o município já investiu R$ 243.273,58, com apenas R$ 26.326,60 arrecadado, um déficit momentâneo de R$ 216.946,98. “A administração municipal está priorizando a melhora do serviço de água, pois esses recursos investidos são próprios da Prefeitura. Somente na rede de água nova que está sendo construída na Linha Pfeifer são mais de R$ 170 mil”, ressaltou o secretário Agnelo Machado. As chuvas dos últimos dias devem dar uma melhor estabilidade ao serviço no momento.

 

Converse com a Fandango