Balsa é alternativa mais viável para travessia do Rio Jacuí, durante obras na Ponte do Fandango

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) busca uma alternativa para a chegada e saída de veículos a Cachoeira do Sul, durante   a interrupção total das obras de conserto da Ponte do Fandango, previstas para começar na próxima semana. Inicialmente, o leito da ponte ficará em meia pista e o trânsito controlado por semáforos. Nos meses de junho, julho e agosto, haverá interrupção total e, neste caso, existem duas alternativas.

Uma alternativa seria  a construção de uma ponte móvel pelo 3º Batalhão de Engenharia de Combate de Cachoeira do Sul que em razão da disponibilidade de equipamento por parte do Exército durante 3 meses e alto custo  se torna mais difícil,  disse o Superintendente substituto do DNIT no RS Delmar Pelegrine que se reuniu quarta-feira, com o Tenente Coronel Bazi do 3º Batalhão de Engenharia de Combate .

Em entrevista para o programa Rádio Repórter da Fandango AM/FM, Pelegrine disse que a outra possibilidade e mais viável,  é a utilização de uma balsa para o transporte de veículos. Vamos nos reunir com a Secretaria Estadual de Infraestrutura nesta semana,  para buscar uma autorização para que uma balsa faça a travessia de pessoas, veículos, ônibus e caminhões até uma determinada tonelagem, utilizando o final da Rua Moron e o acesso a Praia Nova como entrada e saída para cidade. Para os veículos mais  pesados, as alternativas sugeridos para os desvios foram Rio Pardo, Santa Maria ou Santa Cruz do Sul

O que será feito na Ponte do Fandango

– Aumento da capacidade de 25 toneladas para 45 toneladas

– Construção do passeio lateral para pedestres

– Troca de tablado metálico por concreto armando

– Troca de rebites por parafusos

– Nova iluminação

Fonte: DNIT

Converse com a Fandango