Segundo óbito por dengue é registrado no RS em 2024

O Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs), vinculado à Secretaria da Saúde, (SES), confirmou nesta terça-feira (6/2), o segundo óbito por dengue ,em menos de uma semana no Rio Grande do Sul em 2024. O caso é de um homem de 65 anos, residente em Santa Cruz do Sul, que assim como o primeiro caso ,possuía comorbidades.

A SES reforça que é importante as pessoas procurarem atendimento médico nos serviços de saúde assim que perceberem os primeiros sintomas. Dessa forma, é possível evitar o agravamento da doença e a possível evolução para o óbito.

Principais sintomas

  • Febre alta (39°C a 40°C), com duração de dois a sete dias;
  • Dor retroorbital (atrás dos olhos);
  • Dor de cabeça;
  • Dor no corpo;
  • Dor nas articulações;
  • Mal-estar geral;
  • Náusea;
  • Vômito;
  • Diarreia;
  • Manchas vermelhas na pele, com ou sem coceira.

Prevenção

A população deve tomar medidas de prevenção à proliferação e à circulação do mosquito Aedes aegypti, limpando e revisando áreas internas e externas das residências ou apartamentos para eliminar toda água parada dentro de objetos. Essa atitude simples impede o mosquito de nascer, cortando o ciclo de vida dela na fase aquática. O uso de repelente também é recomendado para maior proteção individual.

Situação epidemiológica

Segundo a secretaria de saúde do RS  ,(SEC/RS), 466 municípios gaúchos estão infestados pelo mosquito Aedes aegypti. No total, o Estado tem 497 municípios, ou seja, há infestação em 93% deles.

Em 2024, o Rio Grande do Sul já registrou, até o momento, 5.163 notificações de casos suspeitos de dengue. Desse número, 2.534 foram confirmados. Em 2023, foram registrados mais de 34 mil casos autóctones da doença, ou seja, a contaminação ocorreu no próprio Estado, além de 54 óbitos.

SecomRs

Converse com a Fandango