Candidatos a Governador poderão gastar até R$ 17,3 milhões em campanha

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou, nesta terça-feira (19), os limites de gastos para as campanhas eleitorais de 2022. De acordo com o documento assinado pelo presidente da Corte, ministro Edson Fachin, os valores são os mesmos das eleições de 2018, atualizados pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

O montante mais alto é para a campanha à Presidência da República. No primeiro turno, os candidatos poderão gastar até R$ 88.944.030,80. No segundo turno, haverá um acréscimo de R$ 44.472.015,40. No Rio Grande do Sul, os candidatos a governador poderão investir até R$ 11.562.724,00 no primeiro turno, e R$ 5.781.362,00 no segundo.

Ou seja: o postulante que atingir a fase final da corrida ao Palácio Piratini tem autorização para desembolsar até R$ 17.344.086,00 na campanha. Os demais cargos públicos do Estado têm teto de gastos fixado em R$ 4.447.201,54 para senador, R$ 3.176.572,53 para deputado federal e R$ 1.270.629,01 para deputado estadual.

Conforme o TSE, a portaria é necessária, pois o Congresso não elaborou lei específica para fixar os limites de gastos de campanha para o pleito. O primeiro turno das eleições de 2022 está marcado para 2 de outubro, enquanto o segundo está previsto para acontecer no dia 30 do mesmo mês.

Converse com a Fandango