Banrisul lança Plano Safra de R$ 7 bilhões

Com volume de verbas recorde, o Banco do Estado do Rio Grande do Sul (Banrisul) lançou, nesta terça-feira, o seu Plano Safra 2022/2023. Em evento realizado no Instituto Caldeira, em Porto Alegre, a instituição anunciou que vai disponibilizar para custeio e investimento da próxima safra gaúcha um total de R$ 7 bilhões, 35% a mais que no ciclo anterior. Para a safra 2021/2022, o Banrisul ofereceu inicialmente R$ 5 bilhões, mas encerrou o período com R$ 1 bilhão a mais em operações. O montante do ano passado já havia sido 62% superior ao liberado pelo banco em 2020.

“O maior plano safra da história do Banrisul”, conforme o presidente do banco, Claudio Coutinho, será dividido em R$ 6,1 bilhões para créditos de custeio e  R$ 900 milhões para investimentos. Serão ofertados  R$ 1,5 bilhões (44% a mais que no ano passado)  para o pequeno produtor, R$ 2 bilhões (147% a mais) para o médio produtor e R$ 3,5 bilhões (5%) para grandes produtores e empresas. A expectativa, segundo Coutinho, é que sejam atendidos 50 mil produtores gaúchos, em todos os municípios do Estado. O banco não informou quais as taxas de financiamento serão praticadas.

Neste ano, explicou o diretor de crédito do Banrisul, Osvaldo Lobo Pires, as linhas de investimento  terão direcionamento estratégico para práticas sustentáveis no campo, comoagricultura de baixo carbono, energia fotovoltaica, biodigestores, irrigação, solose armazenagem. Pires também antecipou que a instituição está trabalhando para ampliar a área de lavouras seguradas no Rio Grande do Sul. “Estamos realizando um grande investimento tecnológico para inovar no processo de contratação e gestão de seguros”, disse.

O evento do Banrisul contou com a presença de lideranças do agro como o presidente da Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul), Gedeão Pereira, o presidente da Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul, Alexandre Velho, e do secretário da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Domingos Velho Lopes. O secretário comemorou o volume de verbas e especialmente o alinhamento das linhas de investimento ao segmento de sustentabilidade, que tem sido o principal foco de sua gestão na pasta desde abril.

 

 

 

fonte Rádio Guaíba

Converse com a Fandango