Exportações da indústria gaúcha sobem 8,7%, aponta Fiergs

As exportações da indústria de transformação gaúcha somaram US$ 1,3 bilhão em maio, um aumento de 8,7% em relação ao mesmo mês de 2021, crescendo em 14 dos 23 segmentos que registraram embarques no período. Os dados foram revelados pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs) nesta quarta-feira, 22. No acumulado de 2022, as vendas externas totalizaram US$ 6,8 bilhões, 36,2% maiores se comparadas aos cinco primeiros meses do ano passado.

Entre os grandes setores exportadores, veículos automotores foi o que mais cresceu, embarcando US$ 58,2 milhões a mais em mercadorias, elevação de 115,3%, principalmente para Argentina (+US$ 17,6 milhões), Chile (+US$ 11,2 milhões) e Colômbia (+US$ 8,9 milhões). Na segunda colocação, Tabaco avançou US$ 39,3 milhões – mais 57,9% –, puxado principalmente pelos embarques para a China, que superaram os US$ 35 milhões.

Máquinas e equipamentos registraram o terceiro maior aumento, US$ 37,1 milhões, com as elevações nas demandas da Argentina (+US$ 12,1 milhões) e do Paraguai (+US$ 10,6 milhões). Entre os destaques negativos do mês, já começam a aparecer os efeitos da elevada base alcançada em 2021, com as quedas em Alimentos (-5,7%) e Químicos (-14%), que haviam subido muito no ano passado em função da pandemia.

Em maio, a Argentina assumiu a liderança como principal destino das exportações do RS. Foram US$ 127,4 milhões, configurando um acréscimo de US$ 49,1 milhões em relação ao mesmo mês de 2021 (+63,4%). A razão para o desempenho se deveu às altas nas exportações de Automóveis (+US$ 9,6 milhões), Autopeças (+US$ 6,7 milhões) e Máquinas e aparelhos agrícolas (ex-Tratores, +US$ 6,2 milhões) para a economia argentina.

As vendas para os Estados Unidos também cresceram, em US$ 22,4 milhões, ou 13,4%. Por trás deste número, destacaram-se as vendas de mais de US$ 13,4 milhões em Químicos, além de Alimentos (+US$ 8,5 milhões) e Celulose e papel (+US$ 7,7 milhões). Outros destaques positivos foram as elevações das exportações gaúchas para o Paraguai, Emirados Árabes e Chile, que subiram US$ 30,6, US$ 27,1 e US$ 14,1 milhões, respectivamente.

Por outro lado, a redução de 79% das exportações gaúchas para a China se explica principalmente pela venda de soja, que caiu US$ 789,3 milhões em maio, na comparação com igual mês do ano passado. Além disso, as exportações de Carne suína para a economia chinesa apresentaram novo recuo, de US$ 32,4 milhões. No ano, a retração acumulada já chega a US$ 137,5 milhões (-57%).

Tanto no mês de maio quanto no acumulado do ano, o Rio Grande do Sul permaneceu como destaque no ranking nacional das exportações industriais, ocupando a terceira e segunda colocação entre os Estados que mais exportaram, respectivamente.

Pelo lado das importações, em maio o RS comprou US$ 1,4 bilhão em mercadorias, configurando uma demanda 46,6% maior comparada ao mesmo mês de 2021. Destacaram-se as importações de Bens intermediários, mais US$ 309 milhões de um total de US$ 916 milhões adquiridos, e Combustíveis e lubrificantes, mais US$ 102,2 milhões de um total de US$ 212,4 milhões.

No acumulado de 2022, o Estado importou um total de US$ 5,1 bilhões, valor 39,8% superior ao mesmo período de 2021. As importações de Bens intermediários (+US$ 1 bilhão) lideram a pauta das compras externas no ano, seguidas por Combustíveis e lubrificantes (+US$ 336,3 milhões) e Bens de capital (+US$ 73 milhões).

Comente este artigo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Converse com a Fandango