Próximos meses de chuva abaixo da média no RS

A Agência de Meteorologia e Oceanografia Norte Americana (NOAA) indica que o fenômeno La Niña no Oceano Pacífico está na iminência de seu fim. Tanto que a probabilidade de existir La Niña ou neutralidade está empatada no trimestre março-abril-maio.

A precipitação permanecerá abaixo da média sobre a Região Sul. Além disso, a temperatura continuará mais elevada que o normal desde o Rio Grande do Sul até o Sul de Mato Grosso, passando por Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Mato Grosso do Sul e Goiás. Por fim, o auge do período chuvoso brasileiro, o trimestre janeiro-fevereiro-março, para variar, será com acumulados abaixo do normal em boa parte do país. Os desvios negativos serão mais percebidos no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, em Tocantins e na Região Centro-Oeste.

Mesmo assim, maio terá volumes de chuva mais elevados do que o mês de abril, pois estima-se 100mm para o Rio Grande do Sul. Parte dessa chuva já deve ocorrer no início da primeira quinzena, com o avanço de uma frente fria, mas os modelos indicam chuva mais significativa na segunda quinzena. Já para o mês de junho, novamente há previsão de precipitação inferior ao normal, mas os acumulados devem chegar aos 100mm no RS. Essa chuva não resolve, mas alivia a situação de estiagem do Estado. Para julho, a precipitação aumenta, com chance de chuva acima da média, especialmente, no Rio Grande do Sul.

Em relação às temperaturas, no mês de maio as tardes serão mais quentes do que o normal no Rio Grande do Sul. Há previsão de quedas de temperatura, mas os modelos não indicam mínimas extremamente baixas, com exceção das áreas de Serra. De maneira geral, somente a Faixa Leste gaúcha encerra o mês com temperaturas dentro do esperado. Uma onda de frio mais intensa é esperada para a segunda quinzena de maio. Nos meses de junho e julho, boa parte da Região Sul terá temperaturas dentro da média histórica.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *