Cachoeira perdeu 403 postos de trabalho nos 9 primeiros meses de 2020

O Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia, divulgou seu levantamento atualizado até o mês de setembro.  De acordo com a pesquisa, Cachoeira do Sul no nono mês do ano teve saldo positivo na diferença entre contratações e demissões. No entanto, não teve força suficiente para mudar o cenário de desemprego no Município em 2020.

Em setembro, Cachoeira registrou 366 contratações e 266 desligamentos. Ou seja, 100 postos de trabalho criados no mês. No entanto, o Município vive mais um ano com saldo negativo, expondo a incapacidade de geração de emprego aos cachoeirenses. De janeiro a setembro, 2.297 admissões ficaram abaixo das 2.700 demissões, causando um resultado negativo de 403 postos de trabalho extintos no ano.

É o quarto ano consecutivo da atual gestão municipal com saldo negativo em geração de emprego com carteira assinada em Cachoeira do Sul. Em 2017, no primeiro ano do mandato, foram 153 postos de trabalho extintos (3.885 admissões e 4.038 desligamentos). No ano seguinte, o saldo foi negativo em 181 postos perdidos (4.040 contratações e 4.221 demissões). Já em 2019, Cachoeira perdeu 110 postos de trabalho (4.167 admissões e 4.277 demissões).

Mesmo com o retrospecto negativo dos três anos de governo municipal, o último vem sendo o pior. Somados, os meses de janeiro de 2017 até setembro de 2020 registraram 847 postos de trabalho que foram extintos em Cachoeira do Sul. O saldo é resultado de 14.389 contratações e 15.236 demissões no período.

 

Converse com a Fandango