Coronavírus e gravidez: o Covid-19 não é transmitido pelo leite materno

Relatorio científico sobre  coronavírus, Covid-19, feito por especialistas, destaca que o vírus não está presente no leite materno ou no cordão umbilical no  líquido amniótico. Portanto, consideram que a transmissão da doença da mãe para o bebê só pode ser produzida pelo contato próximo entre os dois.

Ainda assim, embora “em princípio seja improvável”, eles reconhecem que alguns casos de transmissão vertical de SARS-CoV-2 foram observados, portanto consideram que “seria possível”.

Alguns estudos tentaram detectar o vírus sem sucesso em amostras de líquido amniótico, cordão umbilical e leite materno. Em outro estudo, o RNA viral pode ser detectado no leite materno, ao mesmo tempo em que a infecção perinatal do recém-nascido ocorreu após a infecção. da mãe. Não foi possível demonstrar a presença de vírus viáveis ​​no leite nesse caso ou que essa infecção foi causada pela amamentação.

Além disso, eles apontam que é sabido que “a amamentação fornece a forma mais completa de nutrição para os recém-nascidos, pois fornece anticorpos que ainda não se desenvolveram em bebês e que são muito necessários para se defender contra infecções respiratórias nos primeiros meses”. da vida, como pode ser contra esse novo coronavírus “.

Eles reiteram que a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda a amamentação exclusiva durante os primeiros 6 meses de vida, mesmo que a mãe apresente a infecção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2. “Até o momento, esse novo vírus não foi detectado no leite materno, embora, como seja um novo vírus, essa alegação se baseie em estudos de caso limitados”, eles explicam.

Conclusões até agora

Com todas as informações científicas disponíveis no momento, mas com a máxima cautela, uma vez que lembram que o número de casos estudados é limitado, a Health conclui que:

• A maioria das mulheres grávidas infectadas com SARS-CoV-2 transmitem a doença de maneira leve ou assintomática. A pneumonia em pacientes grávidas não parece ser mais grave do que nos outros grupos populacionais.

• A infecção mãe-filho ocorre principalmente por contato direto, mas há evidências de transmissão vertical, o que torna essa rota também possível.

• Foram observadas complicações durante a gravidez em mulheres com infecção por SARS-CoV-2, mas não foi possível discernir se elas eram devidas à presença do vírus ou a complicações da gravidez.

• A infecção perinatal por SARS-CoV-2 pode ser acompanhada de efeitos adversos em recém-nascidos, mas também não está claro se esses efeitos são diferentes daqueles observados na população em geral.

• Em princípio, a infecção não é transmitida através da amamentação através do leite materno, mas através do contato pele a pele.

Converse com a Fandango