População volta a cobrar retomada das obras da nova ponte do Amorim.Desvios estão intransitável

São 40 dias de obra parada. Havia uma informação da Prefeitura que a empresa responsável, a Ledur, de Palmeira de Missões, faria uma pausa de 30 dias sob a alegação de cura (secagem) dos concretos, no entanto, prazo extrapolou. Para os moradores do Alto do Amorim, que abrange cinco bairros, a ponte já deveria estar concluída.

A Secretaria de Planejamento salienta que o prazo para conclusão da obra é o dia 9 de julho e, por isto, o tempo de construção da ponte. A pasta também revela que enquanto isto, na sede da empresa, está sendo concluída a execução das longarinas e lajes pré-fabricadas do tabuleiro que, depois do processo de cura dos concretos, farão parte da estrutura da nova ponte.

Enquanto se arrasta a obra, que iniciou em março, quem sai do Alto do Amorim ou se desloca para os bairros Xangrilá, Parque Primavera, Vila Nova, Augusta e Mauá têm que utilizar duas ruas (Feliciano Fortes e Francisco Amorim) para sair na Rua Ramiro Barcelos. Só que estas duas ruas estão intransitáveis depois da chuva.

ATENÇÃO

A reforma da ponte tem um investimento de R$ 510.963,89, oriundos do Ministério do Turismo. A nova ponte terá capacidade para 45 toneladas, podendo suportar o tráfego de caminhões pesados, comprimento de 20 metros, largura da pista de 7 metros e guarda corpo metálico com 1,20m de altura. Além disso, a ponte terá passeio para pedestre, nos dois lados, com 1,5m de largura.

Converse com a Fandango