Corsan alerta para agravamento da estiagem

Para enfrentar a maior estiagem dos últimos anos, a Corsan tem executado uma série de ações para manter a normalidade do abastecimento. Diante da crise sanitária, a companhia trabalha para assegurar fornecimento de água, primeira barreira contra o coronavírus. Cerca de 6 mil profissionais atuam diuturnamente para que nenhum município em emergência precise racionar esse recurso. Para que isso não ocorra, o uso responsável da água pela população e o retorno da chuva são fundamentais.

Com a redução dos níveis das fontes de captação, a Corsan tem buscado soluções para abastecer as cidades que estão com mananciais comprometidos pela falta de chuva. Municípios como Caçapava do Sul, Garibaldi, Nova Petrópolis e Santa Cruz do Sul enfrentam estado crítico de estiagem. A fim de garantir a continuidade do abastecimento, a companhia está utilizando o apoio de caminhões-pipa em Barão do Cotegipe, Bom Jesus, Caçapava do Sul, Canguçu, Dois Irmãos, Encruzilhada do Sul, Farroupilha, Fontoura Xavier, Garibaldi, Lagoa Vermelha, Miraguaí, Morro Redondo, Morro Reuter, Nova Araçá, Nova Roma do Sul e Pinto Bandeira.

Além de uma campanha de mídia que busca conscientizar a população sobre o uso responsável da água, medidas operacionais estão sendo tomadas em várias regiões, para garantir o abastecimento. Confira abaixo alguns dos esforços realizados em cada uma das superintendências regionais da companhia.

Central

Em Cachoeira do Sul, foi instalada uma bomba de pré-recalque no rio Jacuí, para manter o abastecimento (o rio baixou a ponto de não ter água no atual ponto de captação).

Em Santa Cruz do Sul, a Corsan reforçou a busca por vazamentos invisíveis e instalou equipamentos para a gestão noturna de válvulas. Foram aproveitados e perfurados poços, além de pré-recalques, ampliando a produção de água e a recarga do Lago Dourado.

Em Venâncio Aires, a empresa aproveitou três novos poços artesianos, aumentando em 15% a capacidade produtiva, e será implantado um barramento para acúmulo de água junto à captação, afastando o racionamento.

Em Sobradinho, houve montagem emergencial de poços, em função de o rio que abastece a cidade ter parado de correr.

Em Restinga Seca, foi feita a transposição do rio Vacacaí Mirim, para recarregar a barragem que abastece o município, a qual teve o nível muito reduzido.

Em Candelária, a barragem de nível no rio Pardo foi feita para manter a captação de água no manancial, que também está quase seco.

Em Rio Pardo, teve a instalação de uma bomba no rio Jacuí para atender à demanda da cidade, considerando que a captação está fora do nível do manancial.

Em Barros Cassal, a companhia montou um poço artesiano e desassoreou a barragem.

 

Converse com a Fandango