Obra da ponte do Arroio Amorim está parada, mas Prefeitura garante que retornará no dia 30

A construção da nova ponte sobre o Arroio Amorim, na Rua Conde de Porto Alegre,  está virando uma novela. A obra, que iniciou no dia 17 de março com previsão de ser concluída em quatro meses, é imprescindível para a comunidade do Alto do Amorim da qual fazem parte cinco bairros: Xangilá, Mauá, Augusta, Vila Nova e Parque Primavera.  Por isto, os moradores cobram uma solução da Prefeitura no sentido de agilizar o projeto.

A nova ponte vai custar R$ 510.963,89 e está a cargo da empresa Ledur, de Palmeira das Missões, vencedora do processo licitatório. Os moradores informam que a obra tem um cronograma de trabalho durante 15 dias e depois folga por mais 15 dias.

Desde o início da obra, o trânsito na região foi desviado para a Rua Ramiro Barcelos, onde também existe uma ponte – de pequenas proporções – sobre o Arroio Amorim. Para as famílias residente no Alto do Amorim, o correto seria a empresa cumprir um cronograma diário de serviço. Se para os motoristas é preciso realizar um desvio, para os pedestres a situação é curiosa. Eles atravessam o Amorim caminhando sobre pedras ou utilizam uma pinguela de madeira localizada na Rua General Osório.

 

A Prefeitura emitiu uma nota dizendo:

gostaríamos de esclarecer que a obra da Ponte do Amorim não está parada e o cronograma está sendo seguido pela Ledur. A empresa estava trabalhando, inclusive no final de semana passado, na concretagem de uma parte da ponte. A pausa que está acontecendo agora se dá pelo processo de cura do concreto.
Segundo o engenheiro Regis de Villa, a empresa informou que voltará na quinta-feira (30) para seguir o cronograma e trabalhará durante o final de semana para preparar a obra para receber uma nova carga de concreto que está agendada para ser entregue na segunda-feira (dia 4).

Converse com a Fandango