Cães e gatos escapam da lista chinesa de animais comestíveis pela primeira vez na história

 

Essa decisão foi tomada após a proibição do comércio e consumo de animais selvagens em fevereiro, uma prática suspeita na disseminação do novo coronavírus.

Cães e gatos, cuja carne é consumida por uma minoria chinesa, foram excluídos pela primeira vez de uma lista oficial de animais comestíveis que devem estar sujeitos a regulamentação.O texto, enviado para comentários até 8 de maio, foi publicado quarta-feira pelo Ministério da Agricultura e Assuntos Rurais e lista os animais que podem ser criados para carne, pêlo ou para fins médicos, excluindo cães e gatos.O consumo desses animais de companhia é legal, mas é extremamente minoritário e suscita crescente oposição.

É a primeira vez que o governo chinês diz que gatos e cães são animais de estimação e não se destinam ao consumo “ , afirmou a associação americana Human Society International (HSI) em comunicado pelo governo chines..

Este último estima que 10 milhões de cães são mortos a cada ano na China por sua carne. Milhares são abatidos durante o festival de carne de cachorro de Yulin (sul), em condições consideradas cruéis pelos defensores dos animais, pois são espancados até a morte e até cozidos vivos.O comércio de animais silvestres também foi banido durante a crise da SARS (Síndrome Respiratória Aguda Grave) em 2002-2003, um coronavírus cuja transmissão também estava ligada ao consumo de animais silvestres, mas no entanto, uma vez terminada a epidemia , o comércio recomeçou rapidamente

 

Converse com a Fandango