EGR culpa coronavírus por não baixar preço de pedágio em suas praças

A alteração na fórmula de cálculo para a cobrança de pedágio nas rodovias administradas pela Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR) foi adiada para junho. A medida, que entraria em vigor em abril, foi prorrogada por conta da pandemia do novo coronavírus. Com isso, a cobrança nas duas praças de pedágio na RSC-287 – em Candelária e Venâncio Aires – segue a mesma para todos os veículos.

O diretor administrativo e financeiro da EGR, André Arnt, disse que a ideia inicial – antes da pandemia da Covid-19 – era baixar em 10% o preço do pedágio pago por veículos leves. Com a proposta, o novo valor seria de R$ 6,30. “Nada acontece nesse momento. Somente após as situações decorrentes da pandemia passarem. A ideia é alterar os valores em junho”, confirmou Arnt.

A redução do valor é fruto de um estudo que a EGR fez em cima da cobrança do pedágio de caminhões e veículos maiores, considerados os que mais prejudicam as condições da pista, sendo os principais responsáveis pelo serviço de manutenção. A diferença mexeria na tarifa em 12 das 14 praças de pedágio. Apenas as praças de Campo Bom e Portão não terão a alteração de preço.

Antes desta mudança, a EGR adotava um sistema próprio de cálculo, em que um eixo comercial correspondia a 59% da tarifa básica. Agora, um eixo passará a ser igual à metade do valor da tarifa básica, multiplicando sucessivamente conforme o número de eixos. Nas praças onde haverá redução, a maior circulação acaba sendo de veículos leves.

Em Candelária, por exemplo o volume de automóveis corresponde a 78% do tráfego. Em Venâncio Aires a proporção é quase a mesma: 77% dos veículos que passam na praça são carros de passeio.

 

 

 

 

fonte Portal GAZ

Converse com a Fandango