Cachoeira poderá montar Hospital de Campanha para casos de coronavírus

O Secretário Municipal de Saúde, Roger Gomes da Rosa, informou nesta quarta-feira, para reportagem da Rádio Fandango FM, que um hospital de campanha poderá ser montado para atender casos de coronavírus na cidade.

Conforme o Secretário de Saúde, como já existe transmissão comunitária no Estado, cedo ou tarde poderemos ter pessoas infectadas em Cachoeira do Sul, e como isso seriam internadas nesse Hospital, evitando assim a propagação do vírus dentro do HCB. Estão fazendo uma ação preventiva  que poderá ser utilizada ou não, mas temos que estar preparados enfatizou.

Apesar de não existir nenhum caso confirmado em Cachoeira do Sul – 3 foram descartados e 3 aguardam o resultado do exame – é preciso se antecipar ao possível surgimento de pacientes infectados com o Covid-19. A primeira definição do encontro foi a de que é necessário criar espaços para a triagem em ambiente externo ao HCB. Para isso, o prefeito Sergio Ghignatti contatou o comandante do 3º Batalhão de Engenharia e Combate, Tenente Coronel Lorenzoni, que garantiu que será parceiro e cederá tendas para serem montadas na área externa do hospital e, se necessário, também na UPA. Essa estrutura servirá para a triagem e encaminhamento de pacientes que apresentarem sintomas respiratórios. Será neste local que o profissional de saúde definirá se o caso é de internação hospitalar ou se o paciente tem apenas sintomas leves que podem ser tratados em casa.

Conforme o comandante Lorenzoni, ainda na tarde desta quarta-feira, um grupo de militares irá até o HCB e a UPA para verificar o melhor local para instalação das tendas.

NOVO ENCONTRO – Na manhã da quinta (19) este mesmo grupo se reúne com os integrantes do Centro de Operações de Emergência (COE) para tratar as estratégias que precisam ser adotadas em vários âmbitos. Foram convidados ainda representantes do Exército, Bombeiros, Brigada Militar, Ministério Público, Escola de Saúde do HCB e Ulbra.

Não podemos esperar o primeiro caso se confirmar para agir”

O médico infectologista Lucas Proença Dahlke, diretor técnico do Hospital de Caridade e Beneficência (HCB), frisou no encontro que é preciso se antecipar para oferecer as condições necessárias para atender aos pacientes. “Não podemos esperar o primeiro caso se confirmar para agir. Quando o primeiro caso for confirmado, este paciente já terá tido contato com muito mais gente. Por isso, é preciso todo o cuidado e atenção”, explicou o médico. Para atender pacientes graves, o HCB dispõe hoje de 23 respiradores. Por este motivo as tendas de triagem são consideradas tão importantes neste momento. Ele enfatiza que atender a todos os pacientes no ambiente hospitalar pode expor outros pacientes a uma possível contaminação. A triagem serve para evitar este contato.

Dahlke é mais um dos profissionais que reforça o discurso de que é preciso se manter em casa neste momento. “Sempre que possível, as pessoas devem ficar em casa. Quem tem sintomas leves de resfriado também devem ficar em casa. Somente quem apresentar sintomas mais graves deve procurar atendimento hospitalar”, ressalta. “Na saúde, tudo que é preventivo é mais barato”, completou.

Converse com a Fandango