Piso do magistério terá reajuste de subir 12,84% em 2020

O anúncio por parte do Ministério da Educação de que o reajuste do piso nacional dos professores deve subir 12,84% provocou reação de prefeitos e governadores. O valor mínimo do magistério passa de R$ 2.557,74 para R$ 2.886,15 em janeiro de 2020.

A alegação é de que tanto prefeituras como governos estaduais não tinham esta previsão em orçamento e defendem que o percentual de majoração seja o índice da inflação.

O pagamento do piso nacional é uma luta dos professores desde a criação da lei em 16 de julho de 2008. No RS há uma  a maioria das prefeituras paga o piso, no entanto, o índice anunciado causou surpresas aos prefeitos que já têm o respaldo da Famurs. Para o presidente da entidade, Eduardo Freite, o índice é impagável, até porque a Justiça tem interpretações diferentes para o que seja o piso em diferentes regiões do país.

Quem reagiu também foi o secretário estadual da Educação, Faisal Karam. Ele disse que não sabe de onde o MEC tirou esse número se referindo ao percentual de majoração.

8 thoughts on “Piso do magistério terá reajuste de subir 12,84% em 2020

  • 1 de janeiro de 2020 em 19:47
    Permalink

    Manda um prefeito de uma capital como RJ, viver de um ordenado de menos de Três mil reais pra ver se ele consegue? Acabem com a corrupção q o nosso dinheiro dar e ainda sobra. Professor deveria ganhar no mínimo cinco mil. Ora essa! !!!

  • 1 de janeiro de 2020 em 05:14
    Permalink

    Essa CNM devia era ser EXTINTA. Toda hora sai nos jornais prefeitos sendo processados por desvios no FUNDEB sempre na cifra dos milhões, como não tem dinheiro pra pagar piso? O q os prefeitos querem é q sobre mais dinheiro pros carrões dos seus filhinhos e pra manutenção do luxo de suas raparigas.

  • 31 de dezembro de 2019 em 19:26
    Permalink

    Se realmente fossemos colocar numa balança o trabalho nosso de cada dia em busca de uma educação de qualidade, esse índice que prefeitos e governadores estão questionando é irrisório… Somos heróis e heroínas na busca do compromisso pela formação do cidadão brasileiro…acordamos de madrugada, andamos quilômetros, pegamos ônibus e metrô…jornada dupla ou tripla de uma escola a outra…sem água, sem estrutura descente, recursos escassos…piloto compramos com nosso $ muitas vezes… E ainda não merecemos?!

  • 31 de dezembro de 2019 em 11:42
    Permalink

    Acho que o aumento do Piso Nacional da Educação é muito de acordo com os prefeitos e governadores, que ganham salários exorbitantes e ainda fazem tramoias, esquemas, desvios do dinheiro público e acham que a Educação os prejudicam, até certo ponto prejudica mesmo, pois se investirem em Educação, a sociedade será beneficiada com qualidade e se constituirá de cidadãos e cidadãs com pleno uso de sua cidadania, e esses políticos corruptos serão abolidos através do voto, se fosse para prefeitos e governadores salvo raríssimas exceções o salário dos professores principalmente nos municípios seriam 50% do salário mínimo, aí sim eles iriam fazer a festa.

    • 1 de janeiro de 2020 em 17:09
      Permalink

      Muito repugnante ler que a classe dos prefeitos e governadores dizem ser impossivel pagar o piso. Então se o custo aluno anunciado pelo MEC aumentou gerando esse percentual o que estáo criticando. Terão aumento sim nas verbas do FUNDEB. Brincam com nossa capacidade de raciocínio. Nojo desses politicos. Teremos eleições municipais. Depois outra. Enfim que o MEC e o governo federal não amoleçam.e esse piso se concretize aliás ainda pouco conforme o Plano que está em vigor

  • 30 de dezembro de 2019 em 20:11
    Permalink

    O certo mesmo é não ter reajuste nenhum…aumentar apenas o salário da classe política do Brasil…Eles sim, merecem receber 100% de aumento pq contribui de forma honrosa para o desenvolvimento do país. Fica a dica#

    • 2 de janeiro de 2020 em 07:59
      Permalink

      Quem deveria receber esse valor seria os políticos ladrões e o supremo para pagar as lagostas em seus almoços.

Fechado para comentários.