Estudo da UFSM/Cachoeira aponta sinaleira mais eficiente ou rotatória nas 5 esquinas

O Laboratório de Mobilidade e Logística (LAMOT) da UFSM/Cachoeira entregou ao prefeito Sergio Ghignatti e ao vice-prefeito, Cleber Cardoso, a “Análise da interseção 5 Esquinas mediante a engenharia de tráfego”. O estudo foi feito com a colaboração dos alunos das disciplinas de Engenharia de Tráfego I e Engenharia de Tráfego II, do Curso de Engenharia de Transportes e Logística, matriculados no semestre 2019-1 e atende a uma das propostas do Plano de Mobilidade Urbana que prevê a realização de estudos de engenharia de tráfego que tornem o deslocamento do transporte coletivo mais efetivo, eficaz e eficiente. A apresentação do trabalho foi feito pelo professor Alejandro Ruiz Padillo, responsável pelas disciplinas e que coordena também o Laboratório de Mobilidade e Logística

O estudo demonstra que o existem 14 movimentos conflitantes entre automóveis, sejam eles à esquerda, em frente ou à direita, e outros 5 causados pelas travessias de pedestres. O estudo feito pela universidade projetou algumas propostas de mudança no trânsito local, partindo de algumas testadas que foram consideradas inviáveis. As propostas foram possíveis depois de contagens de tráfego e de pedestres durante cerca de 40 horas, envolvendo aproximadamente 100 pessoas entre alunos, professores e militares do 3º Batalhão de Engenharia de Combate de Cachoeira do Sul, que auxiliaram nas atividades no local. O estudo foi feito em uma terça-feira, uma sexta-feira e um sábado.

DIAGNÓSTICO E PROPOSTA – Depois da conclusão do diagnóstico, foi possível apresentar as propostas e de todas, existe a viabilidade de uma com semáforos, que precisam ter a sua tecnologia alterada para incluir os semáforos de pedestre e outra com rotatória, com cerca de 8 metros de diâmetro, permitido que todos os movimento de conversão que existe hoje sejam mantidos.


“Foi um trabalho acadêmico, mas desenvolvido em nível profissional. Só temos que agradecer a Prefeitura por nos convidar para este trabalho, que nos permitiu uma atividade prática, real”, destacou Padillo. O prefeito Sergio Ghignatti também agradeceu ao trabalho dos acadêmicos e citou que sem o auxílio da UFSM/Cachoeira a Prefeitura não teria condições técnica e nem financeira de custear um trabalho tão complexo.


Alguns dados levantados com a pesquisa:

– De acordo com as durações dos estágios existentes, o ciclo semafórico na 5 Esquinas é de 123 segundos, ou seja, 2 minutos e 3 segundos.

– Não foi registrado congestionamento. Apenas filas em alguns minutos, pontualmente, em alguns sentidos. Só é considerado congestionamento (interseções saturadas), se em todos os cruzamentos existir fila e um veículo precisar que o sinal abra mais de uma vez até que ele consiga passar.

– A maior movimentação de veículos é no “Siga livre”

– No decorrer das cerca de 40 horas em que foi realizada a contagem dos veículos que trafegavam pela interseção, registrou-se um fluxo de cerca de 58.000 veículos, sendo a grande maioria deles pertencente à classe dos veículos leves.

– Terça-feira apresentou a hora com maior movimentação de pedestres, onde um total de 657 pedestres realizando a travessia entre as 17h37min e 18h36min.

– O ponto de travessia de maior utilização pelos pedestres é a Avenida Brasil, entre a farmácia e o ponto de táxi. Em média, realizavam a travessia neste ponto 1100 pessoas nas 12 horas contabilizadas pela contagem.

– Nos três dias de pesquisa foram contabilizados a travessia de 12.639 pessoas em 36 horas.

Converse com a Fandango