População protesta pelo fechamento da Avenida Brasil aos domingos

O fechamento da Avenida, na zona norte de Cachoeira do Sul pela Prefeitura decisão única e exclusiva do Prefeito Sérgio Ghignatti, sem qualquer critério para ser transformada em uma área de uma lazer, provocou protestos na manhã desta segunda-feira (12). Em mensagens, para o programa Rádio Repórter, da Rádio Fandango AM/FM, os cachoeirenses criticaram a medida.

No final da tarde de domingo não havia ninguém na avenida e, além disso, nas proximidades os estudantes que fizeram o Enem, na Escola Vital Brasil e Borges de Medeiros, tiveram dificuldades para sair das escolas.

Além disso, famílias frequentadoras da missa, 20h, na paróquia São José, não conseguiam chegar à igreja o que também causou transtornos. A reclamação se estendeu ao controle do trânsito perto da São José e da Escola Vital, que no final das provas Enem, não havia e, por isto, as reclamações.

A ideia de fechar a Avenida Brasil desde as Cinco Esquinas até a Rua Ricardo Schaurich, tem por objetivo proporcionar área de lazer e entretenimento. Só que com uma tarde de domingo, com temperatura acima de 30 graus, não apareceu ninguém. A população preferiu as praças e muita sombra.

As críticas à Prefeitura também se estendem a área central da cidade, onde nos finais da tarde de domingo, a Rua Setembro, fica intransitável. “Os agentes de trânsito tinha que atuar na subida do Banrisul onde as pessoas ficam no meio da rua”, disse uma ouvinte em uma mensagem para a Rádio Fandango. É que no local existe um bar, que concentra muitas pessoas aos domingo no início da noite.

Converse com a Fandango