Nova espécie de cinodonte é descoberta na cidade de Agudo pela UFSM

Corpo robusto, comprido e com alguns indícios de pelos são algumas das características peculiares de uma nova espécie descoberta por uma pesquisadora da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), no município de Agudo . O animal, que recebeu o nome Siriusgnathus niemeyerorum, faz parte do grupo dos cinodontes, linhagem que inclui os ancestrais dos atuais mamíferos, e viveu no período Triássico (cerca de 230 milhões de anos atrás).

— Ele é um animal estranho de explicar. Não é um réptil, mas o padrão do corpo está mais próximo deles. Tinha características parecidas com os mamíferos, possivelmente algum tipo de pelagem. Ele é de um período de transição entre répteis e mamíferos — diz a paleontóloga Ane Elise Branco Pavanatto, líder do estudo.

Conforme a pesquisadora, o animal tinha mais de um metro de comprimento e seu crânio media cerca de 22 centímetros. Sua alimentação era baseada em plantas e outros animais.

Converse com a Fandango