Safra recorde deve injetar R$ 34,2 bilhões na economia do RS com aumento da área plantada

A Safra de Verão gaúcha deverá voltar a crescer no próximo ano. E com novo recorde histórico a caminho. Segundo estimativa inicial da EMATER/RS, divulgada nesta segunda-feira (27), durante a Expointer, o Rio Grande do Sul colherá 31,5 milhões de toneladas de grãos em 2019, incremento de 3,25% na comparação com o resultado deste ano. A área plantada também apresentará expansão, de 2%, totalizando 7,7 milhões de hectares. Com isso, deverão ser injetados R$ 34,2 bilhões na economia do Estado.

— Estamos projetando a maior safra dos grãos de verão da história do Rio Grande do Sul  —afirma Lino Moura, diretor-técnico da Emater-RS.

O desempenho positivo será puxado pela recuperação da principal cultura do Estado. Depois de um ano considerado ruim, a produção de soja tem crescimento previsto de 5,16%, chegando a 18,4 milhões de toneladas. O volume supera em quase 1 milhão de toneladas a colheita deste ano. A área plantada da oleaginosa para a próxima safra chega a 5,8 milhões de hectares, incremento de 2,3%.

— Isso significa mais dinheiro no bolso dos nossos produtores — aponta o presidente da Emater-RS, Iberê Orsi.

O crescimento mais expressivo na produção gaúcha, entretanto, é verificado no milho A colheita deve chegar a 5 milhões de toneladas, acréscimo de 11,29%. O resultado passa, principalmente, pela expansão da área de cultivo, que subiu 5,53% e chegou a 738 mil hectares.

Por outro lado, a primeira parcial da Emater-RS indica queda nas safras de arroz e feijão. No caso do arroz, a produção deve chegar a 7,9 milhões de toneladas, retração de 5%. Essa situação ocorre, conforme Moura, por fatores como a perda de espaço da cultura para a soja. Já a primeira colheita de feijão, apesar de expansão na área plantada, deve render 60,3 mil toneladas, diminuição de 6,23%.

Converse com a Fandango