3,2 mil inscritos para seleção de 800 vagas de PM temporário

O período de inscrição para a seleção aberta pela Brigada Militar para preencher 800 vagas de soldados temporários chegou ao fim com 3.255 candidatos inscritos — mais de quatro para cada vaga. A alta procura surpreendeu os responsáveis pelo processo, que irão acertar,  os critérios de pontuação que definirão quem ficará com as vagas.

O PM temporário deve ser priorizado em serviços internos, atividades administrativas e videomonitoramento. Se necessário, os agentes também podem atuar na guarda externa de presídios e guarda de prédios do Poder Executivo. Com isso, o governo pretende liberar policiais concursados para policiamento nas ruas.

Para se inscrever, os candidatos deveriam ter realizado o serviço militar obrigatório das Forças Armadas até cinco anos antes e não ter punição por falta grave. Depois, se selecionado, ainda passa por curso de formação.

Além dos PMs temporários, serão chamados 400 servidores aposentados. A estimativa da Brigada é de que eles comecem a trabalhar ainda no segundo semestre de 2018.

Durante o curso, o policial receberá um salário mínimo regional. Depois, de 75% a 80% do valor bruto de um soldado em início de carreira. O tempo de permanência é de dois anos, renováveis por mais dois.

A ação faz parte do pacote da segurança publica aprovado em janeiro pela Assembleia Legislativa, no qual um dos projetos trata da contratação de militares estaduais temporários e reaproveitamento de servidores aposentados.

Converse com a Fandango