Operação da usina movida a casca de arroz em São Sepé está prevista para agosto

om potência instalada de 8MW, a Usina Termelétrica de São Sepé, com geração de energia a partir de biomassa, está em fase final de construção. O investimento de R$ 46,9 milhões, que teve apoio do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), vai gerar emprego e renda para a região Jacuí-Centro. Nesta semana, o diretor de Inovação e Fontes Alternativas da Secretaria de Minas e Energia, Carlos Augusto Almeida, visitou as instalações do projeto, que será suficiente para gerar energia para cerca de 31 mil domicílios e beneficiar aproximadamente 120 mil pessoas.

Para Almeida, o empreendimento valoriza o desenvolvimento da economia local. “A usina vai gerar oportunidades de trabalho, permitindo que os profissionais qualificados permaneçam na região. Muitas vezes, após o término da faculdade, esses jovens precisavam sair na busca de experiência e oportunidade de trabalho”.

O diretor também destaca que a obra é importante para o desenvolvimento das energias renováveis. “Uma experiência positiva ajuda a trazer novos investidores para o Estado”. O Rio Grande do Sul possui oito usinas termelétricas de biomassa, cujo insumo é a casca de arroz. Estão localizadas em Itaqui, São Gabriel, Alegrete, São Borja, Capão do Leão e Dom Pedrito.

O responsável técnico pelo empreendimento, Luiz Antônio Leão, explica que a utilização da casca de arroz vai resolver um prolema ambiental, ao consumir adequadamente cerca de 70 mil toneladas de casca de arroz. “A casca demora muito tempo para se decompor na natureza. A usina ajuda o meio ambiente e, ao mesmo tempo, gera energia. O desafio da usina é juntar a questão econômica da região com o destino para os dejetos. Este é um projeto importante”. De acordo com Leão, o início das operações da usina está previsto para agosto deste ano.

Converse com a Fandango