Interior de Cachoeira sofre com a falta de água potável. Exército ajuda com caminhão pipa

As localidades do interior situadas na metade sul de Cachoeira do Sul ainda sofrem com a falta de água potável. A situação se agravou depois que o caminhão-pipa da Secretaria Municipal de Agricultura e Pecuária (Smap) parou de funcionar por problemas no motor, que terá de passar por retífica.

O secretário da Smap, Ronaldo Tonet, explica que a situação só não é mais grave porque as duas unidades do Exército em Cachoeira do Sul têm feito o abastecimento nas localidades onde a situação é mais grave, como Cerro dos Peixoto e parte do Barro Vermelho. “Felizmente o Exército se colocou à disposição, mas não supre 100% da demanda”, explicou Tonet, nesta terça-feira (27), à Rádio Fandango AM/FM.

Nos próximos dias, a Prefeitura deverá anunciar a empresa vencedora de processo de licitação que vai fornecer as primeiras 75 cisternas para famílias do interior inscritas na Smap. Cada reservatório terá capacidade de 5 mil litros e terá estrutura de calhas e canalização para captação da água da chuva, que terá de ser tratada com cloro pelos próprios moradores. “Com uso racional da água, nós vemos a cisterna como uma solução mais definitiva para as famílias”, resume Tonet.

Outra situação alarmante é a da Vila Carraro/Sulpinos. O único poço artesiano que abastecia a localidade está desativado, e os moradores dependem totalmente do caminhão-pipa para ter água em casa. Tonet explicou que a Smap estuda para a região o fornecimento de cisternas ou o investimento na perfuração de um novo poço, com recursos de emendas parlamentares.

No entanto, a Smap ressalta que o poço artesiano nem sempre é a melhor solução, já que em determinadas regiões do município é mais difícil encontrar água potável bo subsolo.

 

Fonte Jornal O Correio On Line e Rádio Fandango AM/FM

Converse com a Fandango