Preço do Arroz encontra estabilidade

Sem grandes novidades para o mercado doméstico de arroz, os preços do cereal gaúcho, principal referencial nacional, encontraram estabilidade na penúltima semana de março. “O avanço da colheita no Brasil, a entrada de produto pelo Mercosul e a posição defensiva das indústrias impedem uma reação dos preços”, explica analista de SAFRAS & Mercado, Gabriel Castagnino Viana.

Na média do Rio Grande do Sul, principal referencial nacional, a saca do grão em casca era cotada a R$ 34,91 no dia 22 de março, mesmo patamar do dia 15 de março. Corresponde a uma queda de 1,13% em relação a igual período do mês anterior – quando valia R$ 35,31. Na comparação com igual momento do ano anterior, a retração é de 14,67% – quando era cotada a R$ 40,91.

Segundo informações divulgadas no relatório semanal da EMATER sobre o desenvolvimento do cultivo no Rio Grande do Sul, a safra não deverá ter perdas significativas, apesar da estiagem que atingiu o estado. Estima-se que até o momento já tenha sido colhida 22% da área total gaúcha plantada. A colheita poderá ser intensificada nos próximos dias devido ao avanço acelerado das lavouras em direção à maturação.

Já a colheita de arroz na Argentina na temporada 2017/2018 está estimada em 31% até o dia 22 de março, em área equivalente a 60,089 mil hectares, informou o Ministério da Agroindústria da Argentina. Em igual período do ano passado, a colheita estava em 43%. Na semana anterior, o percentual era de 18%.

Rodrigo Ramos  Agência SAFRAS

Converse com a Fandango