Saiba como tornar mais agradáveis as refeições dos idosos

Ter uma alimentação saudável contribui para um ritmo favorável do envelhecimento. Com o avanço da idade e o ambiente em que os idosos vivem, é importante dedicar atenção especial ao processo de compra, preparo, consumo e aproveitamento dos alimentos pelo organismo.

Preparado pelo Ministério da Saúde, o manual “Alimentação Saudável para a Pessoa Idosa” ressalta até mesmo a necessidade de leitura atenta ao rótulo dos produtos, que “permite verificar se há, entre os ingredientes, sal (sódio), açúcar, gorduras, glúten, fenilalanina”, entre outras informações.

Conheça algumas medidas fundamentais para as refeições dos mais velhos, de acordo com a publicação:

Fazer as refeições em local agradável

O ambiente onde a refeição é consumida precisa ser arejado, estar limpo, ter espaço livre para circulação de pessoas e, se possível, mesa com cantos arredondados para evitar acidentes.

Incentivar a higienização das mãos antes das refeições

Lavar as mãos e manter as unhas curtas e limpas são atitudes que evitam a contaminação dos alimentos. Se houver necessidade, deve-se auxiliar a pessoa idosa nessa tarefa.

Distribuir a alimentação diária em cinco ou seis refeições

A digestão dos idosos é mais lenta, o que torna necessário que se estabeleçam horários regulares para as refeições. O ajuste contribui para garantir o fornecimento de nutrientes e energia, maior conforto e apetite.

Proporcionar companhia 

Sentar confortavelmente à mesa em companhia de outras pessoas, sejam elas filhos, netos, amigos ou o próprio cuidador, proporciona mais prazer com a alimentação e favorece o apetite.

Desestimular o uso de sal e açúcar à mesa

Ocorrem mudanças naturais na intensidade de percepção do sabor com o passar dos anos. Logo, a tendência da pessoa idosa é adicionar mais açúcar, sal e outros condimentos para temperar os alimentos, o que pode acabar representando um abuso na quantidade.

Reforçar importância da higienização correta após a refeição

A capacidade mastigatória da pessoa idosa interfere na seleção dos alimentos e na maneira de prepará-los. Assim, a preservação da saúde bucal permite maior flexibilidade no planejamento das refeições e mais prazer com a alimentação.

Incentivar o consumo da água em pequenas quantidades entre as refeições

Beber bastante água. A primeira estratégia é despertar a pessoa idosa para os benefícios que a água traz para a saúde.

Evitar alimentos com temperaturas muito quentes ou muito frias

Pode haver mais sensibilidade térmica. Orienta-se inclusive que não se deixe o alimento resfriando por muito tempo antes de consumir, pois podem ocorrer condições favoráveis ao crescimento de bactérias.

Estimular a variação da disposição dos alimentos

O manual conclui com atenção a como são dispostos os alimentos nas travessas. Orienta-se que se assegure a combinação de diferentes cores, texturas, tipos de cortes e de sabor, deixando de lado a monotonia.

 Fonte: Governo do Brasil, com informações do Ministério da Saúde

Converse com a Fandango