Governo Leite mantém bandeira preta em todas regiões do RS

O Rio Grande do Sul entra na nona semana consecutiva com bandeira preta no Distanciamento Controlado. O mapa da 51ª rodada, com as 21 regiões Covid classificadas no nível mais alto de risco, foi divulgado nesta sexta-feira (23/4) e tem vigência até 3 de maio. Como todas as regiões estão em cogestão, podem ser adotados protocolos até o nível de bandeira vermelha.

Nesta rodada, houve melhora, na média estadual, no número de internados por Covid-19 em leitos clínicos (-12%) e em UTIs (-10%). O número de registros de óbitos reduziu 24% em relação à semana passada.

Mesmo com a melhora em indicadores da pandemia, todo o RS ficou na bandeira preta devido à trava de segurança do modelo que coloca as regiões nessa cor mesmo que alguma tenha ficado com a média mais baixa. A salvaguarda da bandeira preta é acionada quando a relação entre leitos de UTI livres e ocupados por pacientes de Covid-19 baixa de 0,35. Nesta rodada, o índice ficou em 0,25.

Ao detalhar nesta sexta (23) o decreto que permite a cogestão também para a educação e, consequentemente, a retomada das aulas presenciais nos anos iniciais, o governador Eduardo Leite falou sobre a situação:

“É importante que a população entenda que o risco ainda é alto, especialmente em função do quadro de ocupação hospitalar. Os leitos de UTI SUS estão com 82% de ocupação e os leitos privados, mais de 95%. Ainda é um indicador alto e, por isso, as pessoas precisam ajudar cumprindo protocolos, denunciando casos de aglomerações e descumprimento de regras pelo disque-denúncia. Por isso mantivemos a trava de segurança com o RS em bandeira preta, para que entendam que embora a situação esteja melhorando, não está confortável”, afirmou Leite em transmissão ao vivo pela internet.

• Clique aqui e acesse a nota técnica com as justificativas de classificações das regiões.

Com uma média de ocupação de leitos de UTI de 85,5%, o Estado tem 2.010 pacientes suspeitos e confirmados com Covid-19 em unidades de terapia intensiva. Em 9 de fevereiro, havia 961 internados. O número atual, portanto, ainda é mais que o dobro do que foi registrado no atual pico da pandemia. Para comportar o aumento, ao longo do período de maior pressão do sistema hospitalar houve tanto expansão, com mais 713 leitos, quanto redução, de cerca de 200 pacientes não-Covid.

O mapa divulgado nesta sexta (23) já é definitivo, sem possibilidade de envio de pedidos de reconsideração, devido à gravidade do cenário. Também segue suspensa a Regra 0-0, a partir da qual municípios sem registro de óbito ou hospitalização de moradores nos últimos 14 dias poderiam adotar protocolos de bandeira imediatamente inferior. A cogestão regional, por sua vez, está permitida.

CACHOEIRA DO SUL
Na versão preliminar do Distanciamento Controlado desta semana, a região de Cachoeira do Sul
obteve a mensuração final compatível à bandeira Preta.
Quanto aos seus quatro indicadores regionais, Cachoeira do Sul obteve as seguintes bandeiras:
no indicador de incidência (número de hospitalizações por Covid-19 para cada 100 mil
habitantes) a bandeira foi Preta; no de projeção de óbitos a bandeira obtida foi Preta; quanto à
velocidade de avanço (hospitalizações confirmadas nos últimos 7 dias / hospitalizações
confirmadas nos 7 dias anteriores) a bandeira foi Amarela; e com relação ao estágio da evolução
na região (ativos/recuperados) a bandeira foi Amarela.
O número de novos registros de hospitalizações por Covid-19, nos últimos 7 dias, comparado
com a semana anterior, apresentou um aumento de 6.9%, passando de 29 para 31. Quanto ao
número de óbitos, nos últimos 7 dias, comparado com a semana anterior, tivemos uma queda de
6.7%, passando de 15 para 14.
O número de internados em UTI por SRAG, comparado com a semana anterior, apresentou um
aumento de 5.3%, passando de 19 para 20. No caso do número de internados em leitos clínicos
para Covid-19, entre as duas semanas verifica-se uma queda de 22.1%, passando de 77 para 60.
Para o número de internados em UTI confirmadas para Covid-19, a situação foi de estabilidade
(com variação de 0.0%), de 19 para 19.
O número de casos ativos observados na penúltima semana, comparado à anterior, tivemos uma
queda de 7.8%, passando de 1373 para 1266. Quanto aos casos recuperados nos 50 dias prévios
à penúltima semana, comparado à anterior, tivemos um aumento de 7.6%, passando de 5015
para 5398. Com isso a razão entre as duas variáveis teve uma queda de 14.3%, passando de 0.27
para 0.23. Com relação ao número de leitos de UTI livres para atender Covid-19 no último dia, o
quantitativo apresentou uma queda, passando de 0 para -1.
Destaca-se que a quantidade de novas hospitalizações em proporção da população é bastante
elevada, refletindo na bandeira Preta para o indicador de incidência na região.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *