Mascote do Aedes no combate à dengue nas escolas de Cachoeira

As atividades lúdicas têm sido a estratégia da Secretaria Municipal da Saúde para abordar o combate à dengue com os estudantes da rede pública e sedimentar a prevenção à doença pelos bairros da cidade. Paralelamente às ações técnicas do Setor de Endemias – que atua diariamente no bloqueio de transmissão viral com a eliminação dos focos do mosquito e aplicação de inseticida e produtos de apoio – e aos supermutirões que fazem um “pente-fino” junto aos domicílios e estabelecimentos comerciais nas comunidades mais infectadas, o trabalho preventivo é uma aposta das autoridades na orientação dos moradores e na motivação em torno da limpeza dos imóveis. “As crianças e adolescentes têm papel fundamental em levar o tema e a reflexão em torno dele até as famílias”, avalia o servidor Flávio Rodrigues, que atua na Estratégia de Saúde da Família (ESF) do Bairro Noêmia.
Junto aos demais colegas agentes comunitários de saúde da região, Flávio integra uma equipe que vem desenvolvendo agenda educativa em escolas durante toda esta semana.  Na última quarta-feira, a programação aconteceu na Escola Municipal Cívico Militar de Ensino Fundamental Dinah Neri Pereira, mobilizando os alunos das séries iniciais. Já na quinta-feira, os agentes da ESF Noêmia levaram a pauta da dengue, pela manhã, até a Escola Municipal de Educação Infantil Recanto dos Baixinhos e, à tarde, à Escola Municipal de Ensino Fundamental Manoel Carvalho Portella, no Bairro Oliveira.

MASCOTE DO MOSQUITO E ADEREÇOS

A equipe de agentes da ESF Noêmia dispõe de um mascote do Aedes aegypti para interação com as crianças e confeccionou, artesanalmente, outras peças como máscaras, escudos, fantasias e demais materiais didáticos com o tema da doença que são distribuídos durante os eventos. Todos os aparatos temáticos foram produzidos pelos servidores reutilizando recursos, a maior parte proveniente de doações.
Converse com a Fandango