Vacina para crianças com comorbidades, quilombolas e indígenas começa nesta quarta-feira na US1

Inicia nesta quarta-feira (19) a vacinação das crianças entre cinco e 11 anos contra a Covid-19, em Cachoeira do Sul. A aplicação da dose será na sala de vacinas da Unidade Sanitária (US) 1, na parte inferior do prédio do INSS, das 13h às 20h. Neste primeiro momento a imunização é voltada para as crianças com alguma das comorbidades definidas pelo Ministério da Saúde (conforme tabela abaixo). Cachoeira do Sul recebeu 390 doses do imunizante e 300 serão disponibilizadas para a sala de vacinação. As outras 90 são destinadas a crianças indígenas e quilombolas. Cachoeira do Sul tem 6690 crianças nascidas no Município que estão nesta faixa etária de 5 a 11 anos, segundo estudo de estimativa do Ministério da Saúde do ano de 2020.

 

Se ainda sobrarem doses para o dia seguinte, a Secretaria Municipal da Saúde vai distribuí-las entre a US1, US4 (Centro Social Urbano) e US 14 (Bairro Marina), das 10h às 12h. O Secretário Municipal da Saúde, Marcelo Figueiró, explica que as crianças deverão permanecer no local por mais 20 minutos após a aplicação da vacina, atendendo a uma orientação do Ministério da Saúde através do Plano Nacional de Imunizações. Durante este tempo, que será monitorado por profissionais de saúde, os pequenos permanecerão em um ambiente lúdico, com contação de história e distribuição de livros infantil, feita em parceria com a Biblioteca Pública Municipal Dr. João Minssen. Uma ambulância também permanecerá no local caso seja necessário.

 

Tire suas dúvidas:

Quais documentos os pais ou responsáveis precisam levar?

Para garantir a vacinação das crianças é necessário apresentar um destes três documentos: carteira de vacinação, CPF ou ainda cartão do SUS da criança.

 

Como comprovar a comorbidade de uma criança?

Para isso, deve ser apresentado um laudo, atestado, receita médica ou exame. É necessário levar a cópia do documento pois este ficará na unidade de saúde.

Estão aptas para imunização crianças com as seguintes comorbidades:

  • Diabetes mellitus
  • Pneumopatias crônicas graves
  • Hipertensão Arterial Resistente (HAR)
  • Hipertensão arterial estágio 3
  • Hipertensão arterial estágios 1 e 2 como lesão em órgão-alvo
  • Insuficiência cardíaca (IC)
  • Cor-pulmonale e Hipertensão pulmonar
  • Cardiopatia hipertensa
  • Síndromes coronarianas
  • Valvopatias
  • Miocardiopatias e Pericardiopatias
  • Doenças da Aorta, do Grandes Vasos e Fístulas arteriovenosas
  • Arritmias cardíacas
  • Cardiopatias congênita no adulto
  • Próteses valvares e Dispositivos cardíacos implantados
  • Doenças neurológicas crônicas
  • Doença renal crônica
  • Imunocomprometidos
  • Hemoglobinopatias graves
  • Obesidade mórbida
  • Síndrome de down
  • Cirrose hepática

O que acontece se os pais ou responsáveis não quiserem aguardar os 20 minutos necessários antes de ir embora?

Neste caso, eles devem assinar um termo de responsabilidade de que estão deixando o local e de seguir a determinação dos órgãos competentes.

 

Crianças autistas serão contempladas com a vacinação neste momento?

Não. O autismo não é uma comorbidade contemplada nesta etapa.

 

Crianças com síndrome de Down precisam ter atestado:

Não. Para crianças com síndrome de Down não é necessário apresentar comprovação de comorbidade.

 

E as crianças acamadas?

Para as crianças acamadas, em que os pais realmente não tenham condições de transportá-las até o posto, pode ser feito agendamento para vacinação. No entanto, cada caso será avaliado e data da aplicação não está definida. O telefone é 3723-1351 ou 3724-6112.

 

Fonte: Secretaria Municipal da Saúde

Converse com a Fandango