Distribuição da vacina para crianças seguirá critério populacional

O governo federal divulgou nesta terça-feira como será a distribuição de vacinas para crianças de 5 a 11 anos A previsão do Ministério da Saúde é de que o primeiro lote, com 1,2 milhão de doses do imunizante Comirnaty, da Pfizer, chegue ao país nesta quinta-feira, pelo aeroporto de Viracopos, em Campinas.

O encaminhamento da vacina seguirá o critério populacional (de acordo com a faixa etária). A região que receberá o maior percentual de doses será o Sudeste, com 39,18% do total. O estado de São Paulo, o mais populoso do Brasil, terá 20,73% dos imunizantes.

O Brasil deve receber 4,3 milhões de doses da vacina para crianças em janeiro. Na última segunda-feira, o ministro Marcelo Queiroga anunciou a antecipação de 600 mil doses desse total. O governo informou que a Pfizer deve entregar mais 7,2 milhões de doses em fevereiro e 8,4 milhões em março.

Os imunizantes serão analisados pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS) antes de ser enviados aos estados e municípios. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou o uso da vacina da Pfizer para a população entre 5 e 11 anos em 16 de dezembro último.

A imunização de crianças não será obrigatória no Brasil, diferentemente de todas as outras imunizações infantis previstas pelo Programa Nacional de Imunização (PNI). Caberá aos pais ou responsáveis dar o aval para a aplicação. O intervalo entre uma aplicação e outra será de oito semanas.

A dose da vacina que será aplicada nas crianças equivale a um terço da usada nos adultos. O imunizante poderá ser armazenado por dez semanas a uma temperatura de 2°C a 8°C. A vacina aplicada em pessoas acima de 12 anos pode ser guardada por quatro semanas após o descongelamento. O frasco do imunizante pediátrico é de cor laranja, enquanto o de adultos é roxo.

Distribuição da vacina por região/estado

Região Centro-Oeste (8,17%)

Distrito Federal – 1,30%
Goiás – 3,55%
Mato Grosso do Sul – 1,47%
Mato Grosso – 1,85%

Região Sudeste (39,18%)

Espírito Santo – 1,93%
Minas Gerais – 9,02%
Rio de Janeiro – 7,49%
São Paulo – 20,73%

Região Sul (13,17%)

Paraná – 5,25%
Rio Grande do Sul – 4,73%
Santa Catarina – 3,19%

Região Nordeste (28,43%)

Alagoas – 1,77%
Bahia – 7,07%
Ceará – 4,42%
Maranhão – 4,02%
Paraíba – 1,89%
Pernambuco – 4,80%
Piauí – 1,62%
Rio Grande do Norte – 1,67%
Sergipe – 1,17%

Região Norte (11,05%)

Acre – 0,57%
Amazonas – 2,77%
Amapá – 0,55%
Pará – 4,99%
Rondônia – 0,93%
Roraima – 0,38%
Tocantins – 0,86%

Fonte: Ministério da Saúde/Radio Guaíba

Comente este artigo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Converse com a Fandango