Prefeitura de Cachoeira decreta emergência devido a estiagem que ocasiona perdas de mais R$ 302 milhões

O prefeito José Otávio Germano assinou na tarde desta terça-feira o Decreto Municipal 06/2022, publicado no Diário Oficial Eletrônico,  que declara situação de emergência em Cachoeira do Sul devido a estiagem. Os dados levantados pela Defesa Civil apontam que toda a área urbana e rural do Município está sendo afetada pelos efeitos da estiagem decorrentes da falta de chuvas, causando danos humanos e ambientais e prejuízos econômicos públicos e privados.

Segundo dados da Emater, as perdas estimadas na soja são de R$ 228.087.441,70, representando 20% da lavoura. No arroz chega a R$ 22.599.360,00, representando 10% da lavoura. No milho, a perda chega a 46,50%, somando R$ 33.523.787,50. Nas hortaliças estima-se em 34,2% de redução de oferta de produtos, com perdas de R$ 183.185,25. Já na pecuária, estima-se um prejuízo diário de R$ 391.181.56, devido ao não ganho de peso do gado. Em 45 dias esse valor chega a R$ 17.631.702,00. Assim, o valor estimado de perdas somente nestas áreas chega a R$ 302.025.476,50.

A Secretaria Municipal da Agricultura hoje abastece 92 famílias com 508 pessoas, com um total de 205.300 litros de água distribuídos somente no mês de dezembro de 2021, com um custo de R$ 26.793,44. De acordo com a Secretaria Municipal de Inclusão Social, até o momento, 56.058 pessoas estão sendo afetadas diretamente pela estiagem em Cachoeira do Sul, baseado em dados da Corsan, Emater e Secretaria da Agricultura.

Importante

O decreto de emergência, após ser assinado pelo prefeito, ainda precisa ser avalizado pelo Governo Estadual e o Federal. Este documento sinaliza uma situação adversa no município e pode auxiliar na busca por auxílio estadual e federal para atender aos produtores prejudicados pela estiagem.

Comente este artigo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Converse com a Fandango