Municípios gaúchos receberão testes rápidos de antígeno

A Secretaria da Saúde (SES) fará, nos próximos dias, a distribuição de 25 mil testes rápidos de antígenos para os municípios das cinco regiões do Estado com maior incidência da covid-19. Serão atendidas as cidades das regiões Covid-19 de Cruz Alta, Santa Rosa, Palmeira das Missões, Passo Fundo e Cachoeira do Sul. Os exames serão utilizados como um piloto do projeto de ampliação das testagens para covid-19 e o monitoramento de contatos de casos positivos.

Nesta primeira etapa, serão 25.575 testes distribuídos, que fazem parte de um lote de 35 mil unidades recebidas pelo Estado da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas). A distribuição foi pactuada junto ao Conselho das Secretarias Municipais da Saúde do Rio Grande do Sul (Cosems/RS). A análise das incidências leva em conta os dados do último dia 1.

As doses remanescentes ficarão armazenadas pela SES para utilização em situações estratégicas, como o uso em fronteiras, portos e aeroportos, priorização de grupos ou lugares vulneráveis e investigação de novas variantes.

Os municípios deverão utilizar os testes atendendo ao projeto proposto e contribuir com a avaliação dos indicadores através da informação semanal sobre os testes utilizados no sistema que será disponibilizado pela SES.

Os quantitativos para cada cidade foram calculados com base na média de casos desses municípios e a lista completa será publicada junto com a resolução da Comissão Intergestores Bipartite (CIB) nos próximos dias.

Projeto de testagem e monitoramento

Os exames de antígenos por teste rápido devem ser priorizados para casos sintomáticos leves de síndrome gripal, caracterizados por, pelo menos, dois dos seguintes sintomas: febre, calafrios, dor de garganta, dor de cabeça, tosse, coriza, distúrbios olfativos ou gustativos e diarreia. O teste pode ser realizado a partir do primeiro dia de sintomas e, preferencialmente, até o quinto dia desde o início dos sinais.

Quando o teste rápido de antígeno tiver resultado negativo, orienta-se a realização de um novo exame confirmatório por teste de RT-PCR. Se novamente o resultado for não-detectável, a pessoa pode ser liberada do isolamento após 24 horas do fim dos sintomas gripais.

Casos positivos (seja por teste rápido de antígeno ou por RT-PCR) devem receber a orientação para isolamento por ao menos 10 dias (a contar do início dos sintomas) e 24 horas do fim dos sintomas.

Contatos a serem testados

Assim que detectado um caso positivo (por teste rápido de antígeno ou RT-PCR), a vigilância epidemiológica do município deve entrevistar a pessoa para identificar seus contatos próximos. As medidas a serem adotadas são diferentes se for contactante domiciliar ou não.

Contatos domiciliares de um caso confirmado devem fazer quarentena por 14 dias, período que considera o tempo de incubação no qual podem surgir sintomas. Se, durante esse prazo, manifeste sintomas, será testado por RT-PCR, sendo que mesmo com resultado desse exame não-detectável, devem ser cumpridos os 14 dias.

Demais contatos (que podem ser colegas de serviço ou de escola, por exemplo) devem ser imediatamente testados (por RT-PCR) se já tiverem com algum sintoma ou, se não apresentarem sintomas, agendar o exame para o mínimo de cinco dias desde o último contato com a pessoa positiva. Se esse contato assintomático tiver resultado não-detectável, pode ser liberado passados sete dias do último contato com o caso confirmado. Se tiver resultado positivo, mesmo sem sintomas, o recomendado é o isolamento por 10 dias a contar da coleta do exame.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *