TSE formaliza parceria com Facebook e WhatsApp para combater fake nas eleições

Com o objetivo de combater a desinformação durante as eleições deste ano, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) formalizou nesta quarta-feira (30) parceria com as redes sociais Facebook e WhatsApp.

O presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, afirmou que as mídias sociais têm como objetivo colaborar no projeto de elevação ética do debate público para que possamos eliminar os participantes de má-fé que dolosamente procuram fazer mal às pessoas.

“A revolução digital trouxe muitas coisas boas, porém, vieram subprodutos negativos. É enfrentá-los que estamos cuidando nesse momento. As redes sociais têm este papel agregador e de aproximação que pode desempenhar seja utilizada com maus propósitos, seja para desconstruir um dos componentes essenciais da democracia: que é a informação verdadeira”, disse o presidente do TSE.

Para Barroso, a parceria é eliminar essa circulação do mal sem controle de conteúdo. As redes sociais têm este papel agregador e de aproximação que pode desempenhar seja utilizada com maus propósitos, seja para desconstruir um dos componentes essenciais da democracia: que é a informação verdadeira.

Segundo ele, a parceria poderá permitir que o país enfrente o “mal da desinformação sem criar um novo mal: a censura. “Essa não é uma ideia que eu gostaria de enfrentar, mesmo nesse mal de desinformação. A minha principal preocupação tem sido assegurar eleições que não afete a saúde das pessoas, com medidas de segurança”, informou.

Parcerias
O TSE informou que a parceria com o Facebook prevê a disponibilização da ferramenta “Megafone” para divulgação, nos dias anteriores à eleição, de mensagens aos usuários brasileiros no Feed de Notícias sobre as eleições de 2020, especialmente sobre a organização e das medidas de segurança sanitária no dia da votação.

Já no Instagram, os usuários vão contar com stickers/figurinhas com a temática das eleições municipais. A plataforma também vai se aliar ao TSE para divulgação da campanha sobre mais mulheres na política, que o tribunal apresentará à sociedade em outubro.

No WhatsApp, o acordo de cooperação apresenta uma medida para uma parceria com um tribunal eleitoral ou órgão responsável pelas eleições no mundo: a criação de um chatbot para ajudar na circulação de dados oficiais do TSE sobre o processo eleitoral e a votação.

A intenção do chatbot é auxiliar na comunicação direta com os eleitores. Basta adicionar  o número +55 61 9637-1078 na lista de contatos ou acessar o serviço através do link wa.me/556196371078 para iniciar uma conversa com o canal interativo, que disponibiliza as principais informações das eleições.

O WhatsApp permitirá que o TSE envie mensagens sobre cuidados sanitários e para rebater informações falsas durante a campanha para eleitores que se cadastrarem em todas as ferramentas do tribunal.

Denúncias
Também será estabelecido um canal de comunicação específico com o TSE para denunciar contas suspeitas de realizar disparos em massa, o que não é permitido nos Termos de Serviço do aplicativo nem pela legislação eleitoral.

Recebidas as denúncias, o WhatsApp conduzirá uma apuração interna para verificar se as contas indicadas violaram as políticas do aplicativo e, se for o caso, bani-las. O canal será desativado em 19 de dezembro com o fim do processo eleitoral deste ano.

 

 

 

fonte CNN/Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *