Secretário Estadual de Meio Ambiente e Presidente da Corsan estiveram reunidos com Prefeito

O prefeito Sergio Ghignatti esteve reunido na última quinta-feira(05) com  o Secretário de Estado do Meio Ambiente e Infraestrutura, Artur Lemos e o presidente da Corsan, Roberto Correa Barbuti.

A visita do presidente da Corsan teve o propósito de apresentar ao prefeito a proposta a terceirização das obras de esgoto através de uma parceria público-privada. No contrato firmado entre a Prefeitura e Corsan, uma das cláusulas prevê a universalização deste serviço até 2021. No entanto, até agora apenas 36% da cidade tem atendimento de rede de esgoto.

Este modelo de parceria já está sendo implantado na região metropolitana e deve ser implantado também na serra gaúcha e na região central, o que inclui Cachoeira do Sul. “Neste modelo, uma empresa privada assume o serviço de rede de esgoto com a incumbência de universalização do serviço. Não podemos repetir ações e esperar resultados diferentes. Sabemos que o histórico de prestação deste serviço não é bom e o primeiro passo é reconhecer e buscar alternativas para melhor isso. Estamos priorizando este programa e estavam convictos que ele deve acelerar a entrega das obras”, explicou o presidente Barbuti.

O prefeito Ghignatti já concordou com a forma como a Corsan pretende adotar para resolver a questão da universalização do esgoto. “Prevíamos que em 10 anos tudo estaria pronto, mas não está. Minha obrigação é cobrar a Corsan para que se cumpra o contrato. Com esta proposta, vejo uma luz no túnel”, ressaltou o prefeito. Em breve a Corsan deve apresentar um protocolo de intenções para a Prefeitura de Cachoeira do Sul, deixando claro todos os pontos desta futura parceria.

Secretário de Estado prometeu agilidade para a Pradozem

Ao Secretário Estadual de Meio Ambiente e Infraestrutura, Artur Lemos, o prefeito Sergio Ghignatti solicitou apoio para a liberação das licenças ambientais para a Pradozem, empresa que está adquirindo o prédio da antiga Cesa, posa começar a atuar. Ghignatti argumentou que a Pradozem já entregou todas as licenças e quitou as taxas necessárias. “A safra de verão está chegando e a empresa precisa começar a trabalhar. É um investimento que soma quase R$ 10 milhões entre compra do prédio e reforma”, frisou ele.

O secretário Lemos ressaltou que se todos os elementos estiverem de acordo com as exigências da Fepam, o projeto terá atenção especial. “A Fepam levava em média 300 dias para fazer as liberações. Já baixamos este período para cerca de 160 dias. Mas mesmo assim, dentro do que for possível vamos atender a solicitação do prefeito”, garantiu o secretário.

Converse com a Fandango