Produto Interno Bruto gaúcho cresce 3,8% no terceiro trimestre

Depois da retração no primeiro semestre de 2018, o Produto Interno Bruto (PIB) gaúcho registrou um aumento expressivo no terceiro trimestre do ano, com crescimento de 3,8%. A economia nacional, também positiva, cresceu 1,3%. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (19) pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), em coletiva de imprensa realizada na Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão (SPGG).

A Indústria é o setor gaúcho que mais cresceu no comparativo entre o terceiro trimestre de 2018 e igual período do ano anterior: 11,2% do valor adicionado. Variações positivas também na Construção Civil (4,8%) e na Agropecuária (1,0%). Já o setor de Serviços registrou um declínio de 0,7%.

A variação acumulada do PIB do Rio Grande do Sul em comparação ao Brasil em 2018 evidencia que o RS começa a se aproximar do rendimento Brasil, com um acumulado de 0,7 de janeiro a setembro de 2018, enquanto o PIB Brasil no ano contabiliza um crescimento de 1,1%.

relatorio19
Confira os dados no quadro – Foto: Divulgação

Para o coordenador de pesquisas da Fipe, Eduardo Zylberstajn, são resultados que sinalizam uma retomada cíclica da pior recessão que o país já enfrentou como República. “Os números evidenciam que há espaço para, no mínimo, termos uma retomada cíclica do crescimento em termos nacionais. Já em 2019, dependendo das medidas de ajuste que efetivamente sejam tomadas no Brasil, há expectativa de que o crescimento se torne realmente continuado”, pondera.

Além do cálculo do PIB, a Fipe apresentou relatórios de análise do emprego no RS dos meses de julho a setembro. A partir dos dados da PNAD Contínua, divulgados pelo IBGE, no terceiro trimestre de 2018, a taxa de participação foi de 62,9% no Rio Grande o Sul, 63,9% na Região Metropolitana de Porto Alegre e 65,9% em Porto Alegre.

Já a taxa de desocupação ficou em 8,2% no Rio Grande do Sul no terceiro trimestre, 10,1% na Região Metropolitana e 10,2% em Porto Alegre – níveis inferiores à média nacional no período (11,9%). Na comparação com o terceiro trimestre de 2017, a taxa de desocupação recuou na Região Metropolitana (-0,2 ponto percentual) e avançou nas demais dimensões avaliadas: 0,1 ponto percentual na média brasileira, 0,2 ponto percentual no Rio Grande do Sul e 1,9 ponto percentual em Porto Alegre.

A Fipe sinaliza, já para 2019, divulgações mensais do PIB gaúcho. ”Nossos indicadores não serão uma caixa-preta”, afirma Zylberstajn, prometendo detalhar metodologia e segmentações dos diversos indicadores previstos no contrato com a Fipe. O coordenador de pesquisas explicou que o trabalho será realizado junto com o Departamento de Economia e Estatística (DEE) da SPGG que, a partir do levantamento dos dados, ficará com a parte de análise. Para Alfredo Meneghetti Neto, diretor do DEE, “Trata-se de uma parceria na qual o debate e a troca de ideias só tende a qualificar os dados do Rio Grande do Sul.”

Retomada de divulgação dos indicadores

O governo, por meio da SPGG, retomou a divulgação dos indicadores econômicos do estado que estavam a cargo da Fipe. A publicação dos dados foi paralisada momentaneamente em razão de liminar, cassada recentemente após recurso interposto pelo Estado e pela Fipe no Tribunal de Justiça.

“Tivemos uma decisão favorável do TJ e estamos retomando a divulgação. Isso só comprova que fizemos um contrato legal, que atendeu a todos os trâmites previstos. Esperamos que o processo tenha continuidade durante o ano que vem, pois esse trabalho é muito relevante para promover as políticas públicas que o Rio Grande do Sul necessita”, afirmou o secretário da SPGG, Josué Barbosa.

A apresentação do PIB e demais indicadores econômicos do Rio Grande do Sul estão disponíveis no site da SPGG.

Converse com a Fandango