Em menos de 2 anos, Vereador Castelo e assessor já gastaram R$ 26,7 mil em diárias na Câmara de Cachoeira

O vereador aumenta seu consumo em diárias 44,8% na comparação com o ano anterior. Já seu assessor, 50,75% a mais em relação ao mesmo período. Em uma época de discursos sobre urgência por economia, os números parecem contraditórios. Mas são reais. E com custo desembolsado pelo contribuinte cachoeirense. Noeli Castelo (PSB) e seu assessor Alessandro Ferrony voltam a figurar no topo dos gastos em diárias na Câmara de Vereadores de Cachoeira do Sul. Se em 2017, os dois já chamaram atenção pelo volume consumido de recursos, agora conseguiram superar o montante antes mesmo do fim de 2018. Ou seja, os números podem ainda aumentar. No total, Castelo e Ferrony gastaram R$ 15,9 mil em diárias até o mais recente registro no Poder Legislativo Municipal: R$ 9.493,25 pagos ao vereador e R$ 6.412,00 ao assessor. Na contramão, a Câmara indica redução geral no consumo de diárias entre os vereadores. Em 2017, as planilhas apontaram cerca de R$ 67 mil gastos. Já em 2018, o volume ainda está abaixo de R$ 60 mil.

Além de ficar marcado por sugerir a aquisição de um helicóptero para a Prefeitura, Castelo chega na metade de seu mandato com R$ 16.045,25 em diárias. Já seu assessor, R$ 10.665,25. Uma cifra somada de R$ 26.710,50 em dois anos de mandato.

Para efeito de comparação, apesar de ter a prerrogativa de representar o Legislativo Municipal, o próprio presidente da Câmara, Igor Noronha (MDB), consumiu R$ 3,8 mil em diárias durante 2018: montante 40,39% menor do que o colega parlamentar.

Outra marca de Castelo em 2018 foi concorrer para deputado estadual e obter 1,8 mil votos na disputa.

A principal justificativa para os gastos está em viagens que viabilizem tratativas que garantam recursos para Cachoeira do Sul, iniciativas de mobilizações municipais ou ainda participações em cursos de especializações.

 

fonte Jornal O Correio On Line

Converse com a Fandango