Fiergs estima prejuízo com a greve de R$ 2,9 bilhões

A Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs) fez um levantamento sobre perdas estimadas pelo setor durante a paralisaçao dos transportes no Estado. De acordo com a entidade, após dez dias de greve, o valor das perdas já chega a R$ 2,9 bilhões. Devido a isso, o presidente da Fiergs e vice-presidente eleito da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Gilberto Porcello Petry, se reúne nesta quarta-feira, 30, com o ministro da Casa Civil da Presidência da República, Eliseu Padilha, em Brasília, para abordar medidas sobre o transporte no País.

Segundo a Fiergs, no levantamento não está incluso o custo que indústrias terão para a retomada das suas atividades, tais como aquecimento de caldeiras e fornos, limpeza e manutenção de máquinas que não poderiam parar. Também não está incluso o impacto nas indústrias exportadoras, cujas perdas não significam apenas redução de faturamento por não embarcar os seus produtos, mas também cancelamentos e multas pelo atraso na entrega.

A Fiergs divulgou uma nota nesta quarta apelando “Pelo Retorno à Ordem”, na qual destaca que, embora “sejam justificadas as reivindicações dos caminhoneiros, a greve iniciada pela categoria atinge neste momento um alto grau de irresponsabilidade, abrindo espaço para grupos que tentam manobras com objetivos meramente ideológicos neste ano eleitoral”.

Converse com a Fandango