União Central de Rizicultores de Cachoeira defende intervenção militar como solução para o País

A União Central de Rizicultores (UCR), de Cachoeira do Sul, formalizou através de documento a solicitação de intervenção militar no país. A solicitação foi encaminhada nesta segunda-feira (28) ao comandante da Guarnição Federal no município, coronel Sandro Valença. O pedido, assinado pelo presidente da UCR, Ademar Kochenborger, tem o aval do Movimento dos Caminhoneiros Autônomos de Cachoeira do Sul.

A justificativa da UCR é de que a crise inviabilizou qualquer possibilidade de manter as ditas “instituições democráticas” administrando os destinos do país, que não atende os interesses do povo brasileiro. “Queremos uma lima em Brasília”, resumiu Kochenborger, acrescentando que com a intervenção militar seja aberto um processo de eleição.

Para a UCR, os problemas do Brasil começaram com a Constituição de 1988, que colocou um grande número de direitos e quase nada de deveres. “O repasse direto de recursos para estados e municípios abriu grandes brechas para a ocorrência de fraudes envolvendo o dinheiro público”, alerta a UCR.

O presidente da UCR, Ademar Kochenborger, diz que o brasileiro está sem paciência com os políticos. “Não pertencemos a partido político ou a movimentos Fora Temer e Pró-Lula. Lutamos por melhores condições de vida e, por isto, em todas as manifestações caminhoneiros e produtores rurais pedem através de faixas e cartazes a intervenção militar”, justifica.

Converse com a Fandango