Prefeitura e Ministério Publico do Estado, irão acionar MPF pela não cobrança da barca no Jacuí

 Uma reunião que ocorreu na tarde desta terça-feira (17) na Prefeitura de Cachoeira do Sul debateu a travessia da balsa no Rio Jacuí durante as obras de reforma da Ponte do Fandango. Conforme levantamento apresentado, o custo deve girar entre R$ 14 a R$ 17 por veículo. A embarcação terá capacidade para até 90 toneladas.A balsa deve realizar a travessia do Rio Jacuí entre os meses de junho, julho e agosto, quando o tráfego pela Ponte do Fandango estará interrompido.

A promotora de Justiça de Cachoeira do Sul, Débora Jaeger Becker, acompanhou as dicussões, além de representantes do Legislativo Muncipal e da comunidade cachoeirense. Débora sugeriu ao Ministério Público Federal uma ação na Justiça. O prefeito Sergio Ghignatti determinou que a Procuradoria Jurídico do Município entre com uma ação, respalda por uma coleta de assinaturas que a Câmara de Vereadores vai buscar na comunidade.

 

ATENÇÃO    

A balsa que fará o transporte de veículos, enquanto a Ponte do Fandango estiver interrompida, está sendo construída em Cachoeira do Sul. A empresa Transporte Travessia Vitória, criada pela parceria entre a Indústria Thor e Edi Simon, que já administra a balsa do São Lourenço  se candidatou junto à Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq). A previsão é de que devem ser transportados até 20 veículo por vez, exceto caminhões. Ônibus serão permitidos. Não ficou esclarecido se haverá isenção para viaturas de órgãos públicos como Prefeitura e área da segurança.

RUA MORON

Também foi tema de debate do encontro na Prefeitura a utilização da Rua Moron. Está definido que o trajeto da balsa será entre a Praia Nova e Rua Moron, onde será instalada uma estrutura para embarque e desembarque de veículos, sem que seja utilizada a pavimentação considerada histórica existente no local. A previsão é de que a Moron seja asfaltada até a Rua Conde de Porto Alegre.

Converse com a Fandango