Ações preventivas diminuem no número de salvamentos nas Praias Gaúchas de mar e rio

Os primeiros 30 dias da 1º Operação Verão do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Sul (CBMRS) registraram uma redução de 63,9% no número de salvamentos, em relação à média histórica dos últimos 10 anos. Somando as ações de salvamento no Litoral Norte, no Litoral Sul e em Águas Internas, foram contabilizadas 236 ocorrências, desde o dia 16 dezembro, quando a Operação teve início.

No Litoral Norte, foram registrados 171 salvamentos; no Litoral Sul, foram 14; e em Águas Internas, 51 ocorrências. De acordo com o comando do CBMRS, o baixo número de salvamentos deve-se às diversas ações preventivas realizadas nas praias, rios e lagoas. “O guarda-vida desce da guarita e faz um processo de interação com a comunidade, informando, orientando e trocando ideias. Passa informações necessárias aos banhistas, tanto sobre o mar, os ventos e as periculosidades que os locais de banho podem oferecer”, destacou o comandante-geral do CBMRS, coronel Cleber Pereira.

De acordo com o subcomandante-geral do CBMRS, coronel Evaldo Rodrigues de Oliveira, o Corpo de Bombeiros está com uma nova metodologia – intensificar a interação com os banhistas. “Isso está trazendo resultados positivos, como a redução de quase 64% no número de salvamentos. E o mais importante é que não tivemos óbito nesse veraneio até o momento”, declarou.

Com as novas estatísticas de salvamento do CBMRS, agora é possível traçar o perfil do ‘salvado’. Segundo dados, o maior índice de salvamentos ocorre entre o público jovem, com idade entre 16 e 20 anos, que se banham geralmente no horário entre 14h30 e 19h, na praia de Torres, especificamente na guarita 10 (Praia da Cal). “O mapeando contribui para um trabalho mais qualificado para a próxima Operação Verão”, afirmou o comandante-geral.

Converse com a Fandango