24ª CRE investe na Escola Indígena em Cachoeira

A Escola Estadual Indígena Tape Miri, em Cachoeira do Sul, vai iniciar o ano letivo de 2018 com seus ambientes internos renovados. Foram concluídas as obras de reforma de sala de aula e de instalações elétricas, restauração de piso, forro e guarda-ventos, revestimento de paredes na cozinha e troca e abertura de janelas e porta, que estavam bastante degradados.
A Chefia Pedagógica da 24ª Coordenadoria Regional de Educação, Ediléia Lemos Nunes, que dirige a escola, informou que já foram investidos cerca de R$ 15 mil nas melhorias, garantidas com recursos da Autonomia Financeira. “E queremos fazer ainda mais para qualificar os espaços educativos da Escola Indígena. Em 2018, estão nos planos calçamento e restauração da parte externa, uma horta cercada, mesa para o refeitório e a instalação de computadores e internet. Vamos buscar recursos para viabilizar as novas obras”, planeja Edileia.
A Tape Miri está localizada na comunidade indígena guarani instalada na localidade de Cordilheira, às margens da BR-153, em Cachoeira do Sul. Um professor e um agente educacional indígenas trabalham na escola, que encerrou o ano letivo de 2017 com 12 alunos da própria comunidade. A metodologia escolar é diferenciada para valorizar a cultura, a história, os valores, os costumes e a linguagem da etnia.
Converse com a Fandango