Prefeitura diz que vai fiscalizar “Uber” em Cachoeira

A concorrência desleal que os carros clandestinos de transporte individual tem com os táxis de Cachoeira do Sul motivou o prefeito Sergio Ghignatti a determinar que todos os setores da prefeitura que exercem o poder de fiscalização fiquem atentos ao problema. Um levantamento feito pelos próprios taxistas aponta que hoje são cerca de 30 veículos que atuam como uma espécie de Uber (serviço através do celular que coloca os usuários em contato direto com os automóveis de passageiros), serviço que de fato, não existe na cidade.

Um grupo de taxistas conversou com o Ghignatti e entregou uma lista como 12 motoristas que prestam este serviço de forma clandestina e inclusive divulgam através das redes sociais. Eles explicam que muitas vezes o serviço sai até mais caro que o feito por um taxista formalizado. “Há corridas que eles cobram 15,00 enquanto fazemos o mesmo trajeto e por R$ 12,00”, explicou um deles. A partir de agora, a Prefeitura fará vigilância constante sobre estes veículos clandestinos e aplicará as autuações cabíveis como multa de até 50 URMs, o que corresponde a R$ 2.925,00 além da apreensão do veículo.

O Secretário Interino de Planejamento e autoridade de trânsito Luciano Lara explica que será enviado um documento para todos os motoristas que já foram identificados como prestadores deste serviço, alertando de que ele não existe e que as atitudes cabíveis serão tomadas para coibi-lo.

Converse com a Fandango