Estado volta a ter bandeiras amarelas. Cachoeira permanece em laranja no mapa do distanciamento controlado

Pela primeira vez desde o fim de junho, o Rio Grande do Sul volta a ter regiões classificadas em bandeira amarela. A última vez que o RS havia apresentado regiões em risco epidemiológico baixo foi na oitava rodada, entre 30 de junho e 6 de julho. Na 23ª semana do modelo de Distanciamento Controlado, divulgada nesta sexta-feira (9/10), o Estado só apresenta bandeira amarela e laranja (risco epidemiológico médio).

As regiões de Bagé, Palmeira das Missões e Pelotas são as três que apresentaram melhora e passaram para bandeira amarela. As outras 18 regiões seguem classificadas como bandeira laranja.

Classificada em bandeira vermelha (risco epidemiológico alto) na 22ª rodada, a região Covid de Santa Maria apresentou melhora de indicadores e retorna à bandeira laranja nesta semana.

A melhora de indicadores tem sido verificada nas últimas três rodadas. Na 21ª, todas as 21 regiões foram classificadas em laranja, e na 22ª, somente a região Covid de Santa Maria ficou em bandeira vermelha. A 23ª rodada, por sua vez, traz três regiões em bandeira amarela e 18 em bandeira laranja. Dos 497 municípios gaúchos, 284 não apresentaram registro de hospitalizações e óbitos por Covid-19 nos últimos 14 dias.

Cachoeira permanece em bandeira laranja

Nesta rodada do Distanciamento Controlado, as três regiões Covid obtiveram média final
com avaliação de bandeira laranja: Cachoeira do Sul, Santa Cruz do Sul e Lajeado.
Os registros de hospitalizações confirmadas para Covid-19 registradas nos últimos sete
dias reduziram 3,1%, passando de 32 para 31 na macrorregião (somando as três regiões Covid).
Com relação a SRAG, a quantidade de pacientes ficou estabilizada em 42 internados entre as duas
semanas. No caso de leitos clínicos, o número de pacientes passou de 23 para 20, uma redução
de 13%. E com relação aos internados por Covid-19 em leitos de UTI, o quantitativo se manteve
estável, em 29 pacientes.
O indicador relacionado a capacidade de atendimento piorou no comparativo entre as
semanas, porém permanecendo em bandeira laranja. Assim, o percentual de pacientes
confirmados para Covid-19 em leitos de UTI, com relação aos leitos livres, aumentou. Enquanto
na semana passada havia 1,90 leitos de UTI livres para cada leito de UTI ocupado por paciente
Covid-19, nesta semana o indicador passou para 1,66.
No comparativo do número de leitos livres de UTI no último dia para atender Covid-19
entre as duas quintas-feiras, verifica-se uma redução no número de leitos de UTI livres para
atender Covid-19, passando de 55 para 48, em que o indicador atingiu bandeira laranja.
Portanto, com as variações nos números de internados e na velocidade do avanço da doença, os
três indicadores macrorregionais que mensuram número de pacientes internados em UTI (por
SRAG ou Covid-19) e de internados em leitos clínicos (Covid-19) obtiveram bandeira amarela. Os
indicadores de capacidade de atendimento e de mudança na capacidade de atendimento,
mensuradas pela macrorregião, obtiveram bandeiras lar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *