Mínimo e reajuste dos aposentados do INSS devem ser revisados com alta da inflação

Com uma boa acelerada no final do ano, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) fechou 2020 acima do previsto. O indicador de inflação é calculado pelo IBGE considerando o orçamento de famílias de renda entre um e cinco salários mínimos por mês. É muito usado nas negociações das categorias de trabalhadores. Mas, antes disso, ele é o parâmetro para o aumento anual do salário mínimo e também das aposentadorias e demais benefícios do INSS em 2021.

Só que o INPC fechou 2020 em 5,45%. Com isso, ficou acima do reajuste de 5,26% anunciado pelo governo federal, após já ter sido feita uma revisão. O valor de 2021 ficou em R$ 1.100, quando terá que ser de R$ 1.101,36. É provável, então, que o presidente Jair Bolsonaro publique nova medida aumentando novamente o reajuste. Se não o fizer, o reajuste do mínimo ficará abaixo da inflação, ou seja, perdendo poder de compra.

Os reajustes de aposentadorias, pensões e auxílios do INSS paraa 2021 serão publicados em portaria no Diário Oficial da União nesta quarta-feira (13). O texto trará os valores e índices de aumento, incluindo o piso.

 

 

fonte Gaúcha/ZH

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *